Yesterday (2019) – Crítica
Posters para "Yesterday"

Yesterday. Um musical baseado nos Beatles jamais vai dar errado, considerando o poder e o alcance temporal, geracional e emocional de suas músicas. Por outro lado, sempre pode resultar em uma tentativa repetitiva e pouco original. Para evitar cair nessa armadilha, Danny Boyle e os roteiristas Jack Barth e Richard Curtis trabalham com uma premissa absurda: e se o mundo inteiro esquecesse da existência dos Beatles, exceto uma pessoa que, por acaso, é um músico frustrado com a falta de reconhecimento?

Quer mais muscais? Confira a crítica de A Música da Minha Vida (Blinded by the Light)

Para desenvolver a narrativa, utilizam-se de um recurso de roteiro clichê e simplório: depois de um apagão de energia que atinge o mundo inteiro e de o protagonista receber uma pancada na cabeça, todos, exceto ele mesmo, esquecem da existência dos Beatles, sem maiores explicações sobre como ou o porquê. Nada muito diferente de algumas comédias românticas genéricas. Felizmente, este é um filme dirigido por Danny Boyle, vencedor do Oscar e ganhador de muitos outros prêmios de prestígio, e a simplicidade do recurso de roteiro não torna Yesterday um filme genérico.

Como musical, Yesterday funciona perfeitamente, ao entregar aos fãs e às novas gerações novas versões do repertório da maior banda de rock de todos os tempos. Como comédia, Yesterday tem grandes momentos, especialmente quando brinca com o próprio recurso básico do roteiro e entrega ao público ótimas piadas sobre o que mais foi esquecido pelo público, incluindo uma pequena cena pós-créditos.  Eu gostaria de poder contar algumas dessas piadas, mas não quero dar spoiler. Posso, pelo menos, dizer que há ótimas brincadeiras para todos os gostos e gerações.

Se seria muito fácil deixar que a força quase mítica dos Beatles falasse por si mesma, mas Danny Boyle investe no bom desenvolvimento dos personagens , das suas relações e frustrações pessoais. Himesh Patel e Lily james tem química, ainda que olhares baseados em estereótipos possam ter dificuldades de acreditar no romance. A relação entre os personagens é o esteio emocional de Yesterday. Kate McKinnon entrega a personagem mais engraçada, com uma atuação digna de prêmios, pelo menos naqueles que contam com a categoria de comédia e musical. Quem rouba a cena, incrivelmente, é Ed Sheeran, interpretando ele mesmo, com um senso de humor incrível e com uma capacidade invejável de ri de si mesmo.

Nem tudo dá certo em Yesterday, especialmente pela fraqueza do roteiro, que comete alguns exageros e cria situações mal desenvolvidas e incoerentes dentro da própria narrativa. Em um caso especial, que não posso especificar, há um exagero tão incoerente que quase coloca a perder toda a lógica da história, já mambembe, embora possa levar aos fãs ao delírio. O problema dessa cena não é a ideia propriamente dita, mas como ela se encaixa na lógica da história que está sendo contada.

Yesterday investe na nostalgia e discute alguns temas importantes para o nosso tempo, como o desejo de sucesso a qualquer custo, a cultura de celebridade na era das redes sociais e a reação ao fracasso, tudo temperado pela leveza de um romance, das amizades, de personagens divertidos e boas piadas. Não é um filme perfeito, mas entrega aquilo que se propõe. Filme obrigatório para os fãs dos Beatles, em especial, e dos musical, em termos gerais.

 

Not rated yet!

Yesterday

20191 h 56 min
Overview

Após sofrer um acidente, um cantor-compositor (Himesh Patel) acorda numa estranha realidade, onde ele é a única pessoa que lembra dos Beatles. Com as músicas de seus ídolos, o protagonista se torna um sucesso gigante, mas a fama tem seu preço.

Metadata
Director Danny Boyle
Writer
Author
Runtime 1 h 56 min
Country  United Kingdom
Release Date 27 junho 2019

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 1    Média: 5/5]