Vingadores: Ultimato (2019) – Final digno para o Universo Marvel?
Posters para "Vingadores: Endgame"

Aviso inicial: este texto não terá spoiler de Vingadores: Ultimato.

Para um texto com spoiler explicando alguns detalhes de modo mais aprofundado, clique aqui nesta análise do Aniello Greco

Após o evento capital de Vingadores: Guerra Infinita, os nossos heróis estão em frangalhos, física e emocionalmente. Contudo, eles precisam reunir forças para lutar contra o super vilão Thanos e tentar achar uma maneira de colocar as coisas no lugar. Tal tarefa exigirá soluções arriscadas, que, invariavelmente, os obrigarão a tomar decisões desgostosas.

Alguns méritos são notórios, o primeiro é o grande objetivo comercial: Vingadores: Ultimato será um sucesso com os fãs. Há potencial para se tornar uma das grandes, talvez a grande, bilheteria de todos os tempos. Por mais que esse fator seja alheio à qualidade cinematográfica (aos desavisados: um filme de grande público não é, necessariamente, um bom filme – aqui especificamente há concordância destes fatores), vale o comentário já que este longa tem como alicerce o fechamento de um arco de mais de dez anos e, como não poderia deixar de ser, traz consigo um fan service atrás do outro dentro da lógica narrativa. Com a licença da expressão: é um orgasmo para os fãs. Em sessões cheias, como as de pré-estreia, gritos, choro, vibrações farão parte do espetáculo.

A dosagem destes sentimentos e a forma como eles são atingidos, que é o que nos importa aqui, são muito bem pensadas. As longas 3 horas de duração não pesam. Os três atos são bem delimitados e os vais e vens fazem sentido.  Outro grande acerto: desde o começo o filme sabe o que quer ser e entrega no padrão de qualidade Marvel – os detratores dirão que é algo ruim, já os fãs irão se sentir agraciados.  Contudo, aí reside um dos problemas: cria-se um ar um tanto óbvio. Apesar de existirem cenas impactantes, não há grandes reviravoltas ou transformações de arcos dos personagens. As mudanças são dentro de um espectro esperado, não há um desafio para o espectador. É tudo muito quadrado, a velha “fórmula” que dá certo, mas que pode soar como mais do mesmo. O domínio dos diretores (os irmãos Russo) dos personagens, que sabem o que funciona e o que os fãs querem, é um faca de dois gumes aqui.
Confira as críticas de outros filmes do MCU:
Outro ponto de queda é quase inevitável nesta ousada (e por que não, exitosa) proposta: há um desequilíbrio no tempo em tela dos personagens. Para piorar, alguns encontros e movimentos ocorrem de forma facilitada e conveniente. Algumas aparições estão ali quase como uma obrigação, “para bater o ponto”. Quando não estão, força-se o que costumeiramente se chama de “amigo do roteiro”, algo que muitos relevarão devido justamente ao fan service.

Algumas opções acertadas são a preparação do terreno e a divisão dos grupos – ok, esta poderia ser questionada aqui e ali – mas acaba que temos uma metonímia do próprio Universo Cinematográfico Marvel (MCU, na sigla em inglês). Vimos outrora cada herói tendo um filme próprio, com pequenas pílulas para integrar no todo, até culminar nos filmes de junção (aqui, culminar no terceiro ato, na batalha final).Por falar em batalha, temos movimentos semelhantes ao que vimos em Guerra Infinita. Pequenas sessões de frases feitas, aparições grandiosas e cenas que o filme nos lembra que é um filme e que quer jogar pra galera – a reunião de um grupo de personagens femininas fica claro nesse sentido. Há um certo quê genérico e muito uso da computação gráfica e cortes rápidos. No meio da poeira, diversos pontos são mascarados e, ao deixar o público sem respirar, o ganha pelo cansaço. Cinematograficamente, são muito mais interessantes cenas de ação de Atômica ou John Wick, até mais o que vimos em um Capitão América: Soldado Invernal, para citar um exemplar do MCU.

As cenas finais, que obviamente não irei revelar, poderiam se encaixar nas tão costumeiras cenas pós-créditos – aqui ausentes. Entendo o motivo da opção, mas se fosse um filme “comum” (nos parâmetros da própria saga), elas seriam deslocadas para o meio/final do letreiro de encerramento.

Para os fãs, ficarão momentos antológicos, que, possivelmente, tornarão quaisquer críticas nulas ou irrelevantes. Como cinema, ainda está longe dos melhores do subgênero, não deve concorrer a grandes prêmios como Pantera Negra o fez.

Respondendo à pergunta título: sim, é um final digno para o arco apresentado. As pontas soltas poderão ser costuradas sem dificuldades em filmes futuros. Todavia, deixando a poeira baixar, perceberemos que a coisa não precisa ser tão simples quanto um estalar de dedos. O gosto é um tanto agridoce.

PS: há uma participação curtíssima do querido e grandioso Stan Lee, Vai emocionar, mas mais pelos fatores externos do que pela cena em si. Dado o falecimento, perdeu-se a chance de ele entrar em uma fala perfeita perto do final do filme. Mas fica a nossa reverência ao mestre.

Para um papo com spoilers veja o nosso vídeo destrinchando todo o filme:

Not rated yet!

Vingadores: Endgame

20193 h 00 min
Overview

Culminar de múltiplas histórias interligadas, este quarto filme da saga Vingadores significa um ponto de viragem numa jornada épica. Os heróis irão finalmente perceber o quão frágil é a realidade em que vivem e os sacrifícios que devem ser feitos para sustentá-la…

Metadata
Director Joe Russo, Anthony Russo
Writer Christopher Markus, Stephen McFeely
Author
Runtime 3 h 00 min
Release Date 24 abril 2019
Actors
Starring: Robert Downey Jr., Chris Evans, Mark Ruffalo, Chris Hemsworth, Scarlett Johansson, Jeremy Renner, Don Cheadle, Paul Rudd, Brie Larson, Karen Gillan, Bradley Cooper, Josh Brolin, Gwyneth Paltrow, Danai Gurira, Tessa Thompson, Benedict Wong, Jon Favreau, Benedict Cumberbatch, Tom Holland, Chris Pratt, Zoe Saldana, Dave Bautista, Pom Klementieff, Vin Diesel, Elizabeth Olsen, Evangeline Lilly, Chadwick Boseman, Anthony Mackie, Sebastian Stan, Tom Hiddleston, Taika Waititi, Hayley Atwell, Rene Russo, Tilda Swinton, Frank Grillo, John Slattery, Robert Redford, Michael Douglas, Samuel L. Jackson, Michelle Pfeiffer, Cobie Smulders, Letitia Wright, Hiroyuki Sanada, Natalie Portman, Linda Cardellini, Maximiliano Hernández, Sean Gunn, Terry Notary, Kerry Condon, Winston Duke, James D'Arcy, Marisa Tomei, William Hurt, Jacob Batalon, Angela Bassett, Callan Mulvey, Tom Vaughan-Lawlor, Emma Fuhrmann, Carrie Coon, Ross Marquand, Ava Russo, Alexandra Rachael Rabe, Stan Lee, Yvette Nicole Brown, Ken Jeong, Ty Simpkins, Renah Gallagher, Benjamin Weaver, Michael A. Cook, Penelope Kathryn Golden, Monica Mathis, Samantha Mishinski, Alexa Whitaker, Maurice P. Kerry, Kiersten Dolbec, Miles Webb, Jennifer 'Ms Fer' Russell, Eric Patrick Cameron, Brandon Rush, Floyd Anthony Johns Jr., Maria Z. Wilson, Michael Pierino Miller, Cameron Brumbelow, Keith Nussbaum, Brent McGee, Benjamin Weaver, Eric Wallace, Jason m Edwards, Keith Dinkl, Faith Logan, Hye Jin Jang, Greg Tiffan, Rufus Vinall, Sammy Andred, Daniela Gaskie, Camille Kinloch, Daniel Callister, Jay D. Kacho, Colin Goodwin, Tiffany Blair, Ami Fujimoto, Jaylen Davis, Jamaal Burcher, Chuck Lawson, Maxwell Highsmith, Joe Russo, Michael James Shaw

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 11    Média: 3.9/5]