TENET (2020) – Crítica Sem Spoilers
Posters para "Tenet"

TENET. Depois de vários adiamentos decorrentes da mudança das datas de reabertura dos cinemas no mundo todo, TENET, a nova superprodução dirigida por Cristopher Nolan, finalmente foi lançada em mais de 70 países. O hype em torno do filme tem sido grande, assim como as expectativas do público e da crítica. Fica a pergunta: TENET É “tudo isso”?

Em primeiro lugar, vamos tirar algumas questões do caminho.

Quer mais Cristopher Nolan? Confira:

Dunkirk

Interestelar

Quem acompanha minhas críticas (talvez 3 ou 4 pessoas no planeta) sabe que não sou um grande fã de Nolan. Claro, quando afirmo não ser fã do diretor, não significa que não gosto de seus filmes, mas, sim, que não o considero um gênio do cinema, menos ainda da ficção científica. Em geral, a escala comercial dos filmes de Nolan resultou em uma combinação perigosa: ideias ousadas, com grande orçamento, que precisam alcançar público maciço para dar lucro. Por isso, muitas ideias ficam abaixo do seu potencial de execução, como em InterestelarSeus dois primeiros filmes, Amnésia e Insônia, de menor escala, são os melhores de sua filmografia, juntamente com Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge.

Feita a ressalva, resta saber se TENET é um bom filme… e a resposta é.. sim! TENET é um bom filme. Infelizmente, e não surpreendentemente para mim, não é excelente. Não se confirmam as expectativas de que seria a maior produção de todos os tempos da última pandemia ou de que a trama seria tão complexa que até os atores tiverem dificuldade de entendê-la(leia a matéria aqui). Esta afirmação sobre o grau de complexidade de TENET é um exagero sem tamanho. Certamente essas pessoas nunca viram Dark e pensam que A Origem é o que existe de mais complexo no planeta Terra. Não que a trama seja simplória, mas não tem nada que não possa ser resolvido com um pouco de atenção. A propaganda fez parecer que estaríamos diante do novo 2001: Uma Odisseia no Espaço.

Os pontos fortes de TENET são o visual, a ação e as atuações.

A fotografia é espetacular, combinada à escala, à beleza das locações e aos excelentes efeitos visuais. As cenas de ação são de tirar o fôlego, tanto pela coreografia diferente, que se baseia no principal conceito na trama, quanto pelo que está jogo.  John David Washington, como O Protagonista (sim, este é o “nome” do personagem) está excelente no papel, enquanto Robert Pattinson entrega uma de suas melhores atuações na carreira com seu misterioso personagem.

TENET merce ser visto na maior tela que você puder, com a maior qualidade de imagem possível. Trata-se de um filme que depende da escala para que a experiência cinematográfica seja plena. Na tela pequena, perderá efeito sobre o público.

Os pontos fracos de TENET estão no roteiro e no “design” de som.

Nolan faz o que sempre faz: para ajudar o público a compreender a complexidade dos conceitos, utiliza-se de exposição excessiva e pouco criativa. Quase metade o filme se resume a personagens caminhando, conversando e explicando a trama e os conceitos uns para os outros. Temos, inclusive, uma  cena na qual três personagens se reúnem na rua para discutirem seu plano, enquanto a câmera gira em torno deles para dar agilidade à exposição, exatamente como acontece em A Origem. Além disso, tive sérios problemas para aceitar a motivação do vilão – com grande atuação de Kenneth Branagh – e o vínculo afetivo quase automático criado entre O Protagonista e Kat (Elizabeth Debick).

This image released by Warner Bros. Entertainment shows Elizabeth Debicki, left, and John David Washington in a scene from “Tenet.” (Melinda Sue Gordon/Warner Bros. Entertainment via AP)

Embora o conceito básico de TENET seja original e instigante, a execução fica abaixo do potencial. Alguns tópicos que envolvem as consequências do que se passa na trama são tratados superficialmente, como o Paradoxo de Bootstrap (Nola precisa assistir Dark para aprender como se faz). Há alguns plot twists menos surpreendentes para o espectador mais atento do que se pretendem, mas, ainda assim, eficientes. Tratarei dos detalhes da trama no vídeo com spoilers no canal do Razão de Aspecto no Youtube. 

A mixagem de som tem problemas, não porque foi mal feita, mas porque, propositalmente, utiliza volume mais baixo e vozes abafadas, quando os personagens usam capacete, combinados com a trilha e os efeitos sonoros em volume mais alto. Claro, a legenda não afetará o diálogo, mas, para quem assiste no original, ficou bastante diícil de entender diversos trechos.

TENET é uma boa experiência cinematográfica, proporciona bom entretenimento, mas se pretende mais complexo do que realmente é. Em grande medida, lembra 007 (no bom sentido): o vilão, a “bond girl”, a ameaça de terceira guerra mundial… porém, com maior valor de  produção, mas com a mesma estrutura de ação e trama, acrescida da ficção científica, Um bom filme, mas que resulta, mais uma vez, na sensação de que Nolan está jogando abaixo da sua liga,

 

Not rated yet!

Tenet

20202 h 30 min
Overview

Armado apenas com uma palavra – Tenet – e lutando pela sobrevivência do planeta, o Protagonista viaja pelo mundo penumbroso da espionagem internacional numa missão que irá desvendar algo além do tempo real. Não se trata de uma viagem no tempo. Mas sim, uma inversão.

Metadata
Writer Christopher Nolan
Author
Runtime 2 h 30 min
Release Date 22 agosto 2020

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 0    Média: 0/5]