Projeto Gemini (2019) : Will Smith x Will Smith x Roteiro de qualidade

Projeto Gemini tem uma ideia que surge de tempos em tempos: usar a tecnologia para trazer uma experiência visual rara. O que é obviamente louvável, já que tratamos de um produto audiovisual. Contudo, por vezes o apuro visual não vem acompanhado de uma história consistente (e não, não estamos pedindo um roteiro “cabeça” ou digno de Oscar). Infelizmente é o caso aqui no longa dirigido por Ang Lee e protagonizado por Will Smith, que aparece em duas versões.

Sim, este é um dos chamarizes do longa: mostrar o Will de 50 (ou 51, como diz em uma piada do filme) lutando contra o Will de 20. Por vezes a dinâmica funciona bem, mas em outras a coisa beira a galhofa. Nós temos uma capacidade muito grande de reconhecer problemas em rostos humanos, então mesmo que o mar consiga ser “perfeito” em animações como Moana, a tecnologia do rosto ainda tem margem para evoluir para enganar o nosso olhar.

Outro ponto destacável é como o Projeto Gemini foi filmado: utilizados mais quadros por segundo. Isso cria uma noção de movimento e profundidade diferente da que estamos acostumados. Esse estranhamento engrandece a experiência – aliás, é um dos poucos motivos a se elogiar a produção. Crítica não é guia de consumo, mas caso vá ver o filme, o recomendável é em sessões 3D  (sim, eu que sou extremamente crítico dessa tecnologia, aqui faz sentido) e em telas grandes (tipo um imax ou XD).

E estes serem os únicos pontos mais ou menos elogiosos se deve ao roteiro ser completamente raso, com reflexões tacanhas e até furos. O desenvolvimento dos personagens não passa das camadas óbvias e todo o arco da história é calcado nos clichês de sempre. O personagem do Will é o melhor atirador do universo e quer se aposentar, mas alguém quer abatê-lo. O que rende as famosas lutas 1 contra vários, rendendo meros arranhões, e frases feitas que não leríamos em para choque de um caminhão. Os dramas propostos são resolvidos com meia dúzia diálogos expositivos em soluções muito facilitadas ou sem sentido.

Projeto Gemini

O velho (e ruim) argumento de “o que importa é a ação” também não sustenta Projeto Gemini. As miras, acrobacias e até quem ganha os combates são colocados ao bel prazer de uma conveniência que não engana. O pior: sem sequer conseguir empolgar. Compare a ação aqui com um Jonh Wick, Atômica ou até um Capitão América… O que temos são sequências preguiçosas, antecipáveis e sem criatividade.

Outra muleta do roteiro é transitar entre vários países. Ou seja, temos todos um vazio estético nos EUA, um vazio estético na Colômbia, um vazio estético na Europa… achou o texto repetitivo? Pois é… dei a ideia do filme então. Uma pena para um longa dirigido pelo mesmo ser humano que dirigiu Aventuras de Pi. E o carismático Will tem escolhido projetos bem capengas Um Homem Entre Gigantes, Esquadrão Suicida, Beleza Oculta… E os problemáticos, mas não terríveis, Bright e Alladin. Aqui a ideia de confrontar o velho e o novo é mais sedutora se colocarmos Um Maluco no Pedaço para rodar ao lado de À Procura da Felicidade.

Uma pena o projeto não ter germinado um filme bom.

Not rated yet!

Gemini Man

20191 h 57 min
Overview

Henry Brogan (Will Smith) é o melhor assassino profissional do mundo, com uma taxa de sucesso maior do que de qualquer outro, mas, quando decide se aposentar, acaba se tornando um alvo da Agência de Inteligência de Defesa dos Estados Unidos, para quem trabalhava anteriormente. Enquanto luta para se manter vivo, ele se depara com um clone de si mesmo e descobre que as ações do governo americano são para esconder um grande segredo, que só Brogan, com toda sua experiência, é capaz de desmascarar.

Metadata
Director Ang Lee
Writer
Author
Runtime 1 h 57 min
Release Date 2 outubro 2019

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 0    Média: 0/5]