Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar (2017) – Crítica
Posters para "Piratas das Caraíbas: Homens Mortos Não Contam Histórias"

Você goste ou não, a franquia Piratas do Caribe é um sucesso. Eu pessoalmente entro na conta dos que não são fãs. Dos quatro filmes anteriores só o primeiro me agradou. Sim, tinha o fator novidade, mas não foi só isso: o roteiro era leve, a direção precisa e principalmente o ritmo mais fluido. Os outros ficaram demasiadamente longos, com muitas subtramas mal desenvolvidas – até para o tipo de filme que Piratas se propõe a ser.

Um quinto filme vem com o peso de seguir uma saga desgastada e tendo como protagonista um ator repudiado por atitudes na vida pessoal, o polêmico Johnny Depp (uma breve presença em Animais Fantásticos e Onde Habitam sacudiu as redes sociais). Apesar de ter críticas pra todos os lados, algumas até antes de verem o filme, eu confesso que não detestei o quinto capítulo da jornada do Capitão Jack Sparrow, inclusive só o coloco atrás do primeiro filme.

Contudo um ponto enfraquece e muito A Vingança de Salazar: o roteiro. Sim, em geral blockbusters não tem excelência nesse quesito, mas aqui a coisa é bem mais rasa que o tolerável. Personagens mal aproveitados e uma história muito familiar – em certo sentido se assemelha o Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra (talvez na tentativa de emular o sucesso daquele). Há uma cena na prisão que é a cópia daquele e a condição dos vilões também é semelhante.

Mas mesmo no roteiro há coisas elogiáveis. Um importante arco que os outros filmes abandonaram é fechado, o vilão não é marcante contudo a história dele tem sentido e, principalmente, conhecemos a história de origem do nosso anti herói, como Jack se tornou Sparrow e Capitão – justificando algumas coisas do personagem. Além disso, os novos personagens tem arcos bem simples porém com boas justificativas e carisma – coisa fundamental aqui.

Falando deles: a Carina Smyth (Kaya Scodelario) lembra muito a Hermione de Harry Potter. Os trejeitos de Scodelario contribuem para isso, mas a inteligência, liderança e determinação são os fatores que me fizeram fazer tal associação. Já Henry Turner (Brenton Thwaites), filho de Will Turner, funciona tanto quanto o pai (e isso pode ser um elogio não tão elogioso, fica a critério do leitor). Já o grande vilão, o Salazar (Javier Bardem), tem uma caracterização muito bem feita, seguindo a linha dos demais antagonistas da série, intimida e tem o tempo em tela necessário para funcionar.

Um dos problemas aqui cai na conta da produção – será que faltou dinheiro?. Não sentimos a grandiosidade do mar, a extensão dele é diminuta. Isso afeta a geografia daquele universo, tudo é muito próximo, não sentimos o esforço nos deslocamentos e os sofrimentos costumeiros de quem vive em alto mar. E em um filme de Pirata, tal elemento não pode ser descartado.

Os personagens secundários se restringem ao alívio cômico padrão, aqui com menos espaço. Os lordes são indistinguíveis e pouco acrescentam. Tal arco não deve ter futuro. Barbosa (Geoffrey Rush), como sempre, é a exceção: cada aparição dele tem peso, ganhando mais camadas que o protagonista. Pois Jack soa novamente como piada repetida. Percebi um pouco menos de abuso daqueles maneirismos característicos, mas eles ainda estão lá e com o piloto automático ligado a todo vapor. Não há um esforço do Depp de colocar algo novo.

Parte da ação continua tendo o esmero dos filmes anteriores Contudo, em outros momentos a direção não dá ritmo e a aventura fica morosa e sonolenta. Considerando o gênero é um erro grave. Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar não estará na lista dos melhores blockbusters do ano, mas não é o terror que muitos têm pintado.

 

Not rated yet!

Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar

2017Duration unknown
Overview

Esta emocionante aventura encontra o Capitão Jack Sparrow numa maré de azar. Os ventos da má sorte começam a soprar ainda com mais força quando os fantasmas dos marinheiros mortos, liderados pelo terrível Capitão Salazar, escapam do Triângulo do Diabo, empenhados em matar todos os piratas - especialmente Jack. A única esperança de sobrevivência de Jack Sparrow, encontra-se no Tridente de Poseidon, mas para o encontrar tem de criar uma aliança com Carina Smyth, uma brilhante e bonita astrónoma e Henry, um jovem marinheiro da Marinha Real Britânica. Ao leme do Dying Gull, o seu pequeno e humilde navio, Jack Sparrow procura não só reverter a sua maré de azar mas também salvar a própria vida do pior inimigo que já enfrentou.

Metadata
Director Joachim Rønning, Espen Sandberg
Writer
Author
Runtime Duration unknown
Release Date 23 maio 2017

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 2   Average: 2.5/5]