Meu Malvado Favorito 3 (Despicable Me 3, 2017) – Crítica

A grande aposta da Universal para animações é a franquia Meu Malvado Favorito. Mas aposta já não é bem a palavra, tendo em vista o sucesso de público dos filmes anteriores e do spin-off Minions. Se a venda de bonecos é outra certeza, no que tange à qualidade cinematográfica a coisa não é bem assim…

A produção, notadamente infantil, tem vários problemas de roteiro e se apoia em fórmulas fáceis para garantir a presença do público. Se você irá ao cinema para ver o terceiro longa já gostando dos outros dois, então não irá se decepcionar. Está tudo ali – o que por um lado denota uma certa preguiça dos responsáveis pela produção.

Este em especial puxou por uma linha que vai arrancar alguns sorrisos dos pais: os anos 80. O vilão (que a essa altura vocês sabem que não é mais o Gru) vem direto desta década. Então trejeitos, caracterização e principalmente a trilha remetem à memória afetiva dos mais velhos. Há até uma referência explícita à um momento de Star Wars (que aqui fica completamente solta, servido apenas para gritos dos fãs da ópera espacial). No mais, vemos gags visuais batidas com potencial apenas infantil.

A premissa é bem simples: Gru – que está no lado do bem – encontra o irmão gêmeo e eles têm que deter um super-vilão Malvado que quer destruir Hollywood. Enquanto isso, o resto da família de Gru e os famigerados/amados Minions vivem outras aventuras… Basicamente vemos três filmes em um e isso não é um elogio (“opa, que legal compramos um ingresso e ganhamos três histórias”), mas sim vemos arcos que estão ali para preencher o tempo e ter um filme.

Os Minions servem para aquilo que você provavelmente já sabe: alívios cômicos com movimentos em meio a uma bagunça sincronizada. Penso nesses personagens como funcionais em um curta. Aqui só desviam do foco e roubam tempo. A esposa e as filhas de Gru seguem pelo mesmo caminho. O longa se apoia na fofura da Agnes e subaproveita as outras duas (há uma passagem que sobra envolvendo Margo e um menino solitário e sou incapaz de tecer comentários sobre a Edith). O próprio anseio de Agnes é encaixado de qualquer maneira aqui. A mãe adotiva é um misto de ex machina – aparecendo quando convém – com a luta dela para se firmar como mãe, gerando uma personagem de piadas repetidas (como é a tônica de todos, aliás) e irritante. Pode-se alegar que Meu Malvado Favorito é desse jeito, o que não justifica o problema.

A relação dos dois irmãos, Gru e Dru, tinha potencial. As questões deles com os pais e os objetivos de cada um se encaixam com personalidades distintas e parecidas, como às vezes são os irmãos… Quando os dois estão juntos em tela a coisa funciona até bem. Sem entregar o que acontece, há uma abertura cretina para um possível quarto filme. Esse tipo de fechamento não me agrada. O público comprou o ingresso para este filme e não para um próximo. Esse erro “consciente” é só mais um do roteiro que tem falhas em vários momentos. Em uma cena de perseguição inicial, há um exército para interceptar um vilão, mas só é usado o protagonista para tal tarefa.

Meu Malvado Favorito 3 não é ofensivo para as crianças – em nenhum aspecto: não é demorado – tem menos de 1h30 – não há piadas de mal gosto e tem piadas curtas de fácil acesso para os pequenos. Para os adultos, que é um público sim importante já que em geral acompanham as crianças e tem o poder de compra de brinquedos, a coisa pode soar redundante e tediosa. Prefiro muito mais a proposta de um Poderoso Chefinho do que esta. Mas acredito que a venda de ingressos será satisfatória e eles vão continuar com a franquia….

Not rated yet!

Despicable Me 3

Overview

O ex-ator mirim e astro de TV, Balthazar Bratt, foi um típico malvado bem-sucedido nos anos 80 e agora está de volta à ativa. Ele vai aterrorizar a vida de Gru, Agnes, Margo, Edith, Dr. Nefario e os atrapalhados Minions. Em meio a tudo isso, Gru também vai encontrar o seu irmão gêmeo, Dru.

Metadata
Director Kyle Balda, Pierre Coffin
Writer Ken Daurio
Author
Runtime
Release Date 29 junho 2017

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 7    Média: 2.3/5]