Frozen II (2019) – emocionante, mas mais fraco que o primeiro – Crítica
Frozen

Frozen foi lançado em 2013 e foi um sucesso absoluto de crítica e público, além de dois prêmios no Oscar de 2014 (melhor animação e melhor canção). A animação trouxe canções potentes, com sentido narrativo e chicletes (no melhor sentido). Além de uma trama simples, porém que indicava alguns caminhos diferentes: como o não foco no amor romântico e a diminuição da princesa apenas como donzela em perigo.

Seis anos depois (socorro, como o tempo passa rápido) chega aos cinemas Frozen II, a boa distância dá crédito e mostra que o objetivo não era só caça-níquel – não que esse aspecto não seja levando em conta, ele é prioritário, mas outras franquias colocariam uma sequência dois, três anos depois….

Aqui, a história de fato evolui, temos um novo foco: vemos mais o passado da cidade e da família da Elsa e da Anna e a nossa dupla precisará encarar novos desafios sem soar como algo requentado – há outros problemas na história, mas esse, ser mais do mesmo, com certeza não é um deles.

Logo no início vemos a infância delas, com o pai contando uma história. Ali temos carinho, suspense, ideias plantadas para serem recuperadas depois, humor e parte do tom dessa sequência, então quem chegar atrasado perderá muito. Cenas adiante, temos o simpático boneco de neve Olaf resumindo o filme anterior de maneira orgânica, bem criativa e engraçada. Ou seja, essas duas cenas mostram que Chris Buck e Jennifer Lee, responsáveis pelo filme, conhecem o próprio universo e sabem (re)apresentar os personagens sem soar expositivo.

Frozen

Infelizmente o desenvolvimento é um tanto apressado e com resoluções fáceis. O perigo surge e é rapidamente diluído. Sei que o público-alvo são os pequenos e que talvez segurar essa tensão seja a ideia. Mas dá um gosto agridoce. Há também uma reviravolta que é muito antecipável. Novamente: para as crianças talvez surpreenda, ou talvez nem para elas…

O melhor arco é o do Olaf. Ele quebra bem o ritmo (de uma forma positiva), tem sacadas diferenciadas, ótima mensagem para as crianças (“não ter medo, quando eu for adulto isso fará sentido). A relação com a água/memória e ele rende duas das melhores cenas: a já citada do resumo do filme 1  e outra na caverna.

Parte dos novos coadjuvantes  tem vida e arcos próprios, dentro de um limite de um filme com a proposta que tem, em especial dois líderes. Contudo, perde-se algumas cenas focalizando um novo personagem fofo que a partir de um dado momento não tem muita função, basicamente está ali para vender boneco… por outro lado, há um cavalo muito bem feito e belo.

O visual, aliás, foi prejudicado pelo 3D (pelo menos na minha sessão). E em Brasília há apenas uma única sessão legendada de Frozen II, mas somente com a opção em 3D. A dublagem independente de te agradar mais ou menos que a original, não é a original, ou seja, não é o material pensado pelos responsáveis pelo filme. Não quero desmerecer os dubladores locais (o trabalho deles é ótimo). Porém fica uma avaliação completamente enviesada quando não escutarmos as vozes base. No caso, preferi sacrificar o visual em prol de ter o original das vozes, ainda mais em um filme musical.

Falando nisso, nas canções há uma decisão clara: ter um lado mais introspectivo. O personagem sozinho refletindo sobre o momento em que vive. Por mais que tenha alguma serventia narrativa, por vezes soa mais como uma apresentação musical do que a trama evoluindo, mais como “vamos cantar porque podemos”. Isso quebra o ritmo (de uma forma negativa). E posso estar enganado, mas nenhuma terá o potencial de hit de um Let it Go. Na realidade há um som especial no filme que poderá render imitações na saída da sessão, mas nada a mais que valha nota.

Frozen II chega como um dos favoritos ao Oscar, muito por conta do estúdio e por ser um ano não tão forte (saudades Homem-Aranha no Aranhaverso). Imagino que concorra com Toy Story 4, além de estar presente em canção (pelos mesmos motivos). Fica a dica de que há uma cena pós-crédito bem divertida (e como dica da dica, indico o site aftercredits, que mostra se o filme tem cenas durante ou pós os créditos).

Confira as nossas outras críticas dos lançamentos de 2020 no Brasil:

O Caso Richard Jewell
O Farol
Ameaça Profunda
Adoráveis Mulheres
Kursk – A Última Missão
Retrato de uma Jovem em Chamas
Os Miseráveis
O Escândalo
Um Espião Animal
1917
A Divisão
A Possessão de Mary

 

Not rated yet!

Frozen 2 - O Reino do Gelo

Muito Mais Além.

20191 h 44 min
Overview

Porque será que Elsa nasceu com poderes mágicos? A resposta está a atormentá-la e a ameaçar o seu reino. Juntamente com Anna, Kristoff, Olaf e Sven, ela parte numa perigosa e memorável aventura. Em "Frozen", Elsa temia que os seus poderes fossem demais para o mundo, em "Frozen 2" espera que sejam suficientes.

Metadata
Director Chris Buck, Jennifer Lee
Writer Allison Schroeder
Author
Runtime 1 h 44 min
Release Date 20 novembro 2019

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 0    Média: 0/5]