Com Amor, Van Gogh – O Sonho Impossível (2019) – Crítica
Com Amor, Van Gogh - O Sonho Impossível

Com Amor, Van Gogh foi uma animação indicada ao Oscar em 2017 e tem como grande diferencial ter sido toda pintada a mão por mais de 100 artistas em um trabalho total que durou 8 anos e rendeu 65 mil quadros. Esse processo criativo despertou o interesse de Miki Wecel que fez Com Amor, Van Gogh – O Sonho Impossível, um documentário sobre todo esse árduo trabalho. Veja a nossa crítica dele clicando aqui.

O longa começa com uma imagem amadora de uma reunião da diretora Dorota Kobiela com a equipe justamente dizendo que eles não tinham experiência e não eram grandes nomes da indústria, mas que dada a paixão de contar aquela história da forma que foi, iriam dar o máximo. A escolha da filmagem combinou bem com o que estava sendo dito e também foi uma ótima sacada abrir o documentário com ela.

Nos minutos iniciais temos muito o foco em Kobiela já que a ideia partiu dela. Ideia essa que era um curta, mas que em conversas com aquele que viria a se tornar o codiretor, Hugh Welchman, a coisa foi crescendo até virar o “monstro” de 1h34. Temos toda a parte criativa, financeira e técnica do processo. De fato os números impressionam. E o documentário consegue equilibrar bem o lado humano elegendo algumas figuras para dar depoimentos, guiado principalmente pelo Welchman, com o brilho de dar vida às pinturas.

Com Amor, Van Gogh - O Sonho Impossível

Abusa-se, contudo, da trilha engajante para reforçar o que não precisava ser reforçado. O feito por si só já era incrível. Então acaba redundante e até prejudicando a emoção genuína. Todavia, e aqui não há que se falar em spoiler, quando chega em dois ápices da consagração confesso que Com Amor, Van Gogh – O Sonho Impossível conseguiu me levar às lágrimas: na palmas na premier e na indicação ao Oscar.

Entendo que a ideia era uma homenagem e que em alguns momentos até se esbarra no que não deu certo, mas com certa ao longo desses anos todos outros perrengues aconteceram e poderiam ter investido mais nesses aspectos.

E pessoalmente fiquei feliz em ver que dois pontos que ressaltei na crítica supracitada ao filme Com Amor, Van Gogh são explicados aqui: a duração e o roteiro. A diretora deixa claro que teve grandes dificuldades em criar uma história para além do curta, e infelizmente vemos esse reflexo em tela. O que não desmerece o trabalho visual.

O documentário vai além de ser um mero making of, mas não vai tão a fundo. O saldo é positivo, apesar dos senões.

 

Confira as nossas outras críticas dos lançamentos de 2020 no Brasil:

Frozen 2
O Caso Richard Jewell
O Farol
Ameaça Profunda
Adoráveis Mulheres
Kursk – A Última Missão
Retrato de uma Jovem em Chamas
Os Miseráveis
O Escândalo
Um Espião Animal
1917
A Divisão
A Possessão de Mary
O Melhor Verão das Nossas Vidas
Um Lindo Dia na Vizinhança
Adoniran, Meu Nome é João Rubinato
Judy: Muito Além do Arco-íris
Os Órfãos
Bad Boys Para Sempre
Testemunha Invisível

Not rated yet!

Loving Vincent: The Impossible Dream

20191 h 00 min
Overview

O documentário detalha minuciosamente a jornada que levou dois cineastas apaixonados a alcançar seu sonho impossível, criando o primeiro longa-metragem totalmente pintado do mundo, Com Amor, Van Gogh, lançado em 2017.

Metadata
Director Miki Wecel
Writer Hugh Welchman
Author
Runtime 1 h 00 min
Country  Poland
Release Date 8 março 2019

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 0    Média: 0/5]