Bom Comportamento (Good Time, 2017) – Crítica

Bom Comportamento não figurará na lista dos melhores do ano e talvez não atraia multidões, mas é uma obra muito competente ao passar intensidade em um retrato enérgico do submundo do crime, focalizado na relação de dois irmãos.

A trama acompanha principalmente Connie Nikas (interpretado por Robert Pattinson). Digo principalmente, pois aí reside uma das riquezas de Bom Comportamento: todos que cercam o protagonista tem arcos poderosos, com uma carga dramática potente, dentro do espectro que contempla o triste, desolador e maltratado.

Junto com o irmão Nick (Benny Safdie que, além de atuar, codirige o filme), eles participam de um assalto que não acaba bem e Nick vai preso, com o agravante que ele é autista. Connie tenta resgatar o irmão, mas acaba se envolvendo em mais desventuras.

O plot poderia enveredar para o humor – e de fato há cenas cômicas, melhor que muita comédia por aí – porém a condição daqueles personagens trazem o drama para o foco. A solução para o destino dessas figuras engaja o público a torcer por eles. E agora temos um outro mérito: apesar haver uma simpatia pelo bandido, o filme nunca glamoriza o crime.

A fotografia “suja” traz à memória algo que rasteja, um esgoto ou marcas nessa linha. A câmera próxima dos rostos daqueles homens, além de realçar as expressões dos atores, coloca-os (e o espectador) em uma posição claustrofóbica.  Ainda nessa linha, vemos personagens curvados ou cabisbaixos. Por vezes a câmera em um ponto de vista aéreo, diminui ainda mais aqueles alvos. A trilha acelerada e os sons da rua dão um sendo de urgência e realidade às situações. A montagem imprime um ritmo que quase não respira, salvo em momentos pontuais onde a delicadeza impera.

Esses elementos combinados promovem uma imersão urbana essencial. A ambientação pode ser encarada como causa das mazelas ali vividas ou apenas como cenário para a sobrevivência. A resposta, creio, está no meio termo das duas vertentes.

Vemos Connie usando quase todos que cruzam o caminho dele, até mesmo o irmão. Lá no fundo, às vezes bem no fundo mesmo, ele se mostra menos egoísta. Curioso como ele convence as pessoas quase como fazendo elas enxergarem benefícios em atos que são do interesse dele Connie. É um sedutor egoísmo manipulativo. Quando ele é confrontado, por mecanismos que se assemelham aos que ele mesmo faz, o resultado é uma substância narrativa rara.

Parte dessa engrenagem funcionar se deve ao magistral trabalho de Robert Pattinson. Se ele está eternamente estigmatizado por conta da franquia Crepúsculo, vale ressaltar momentos muito bons como em Z- A Cidade Perdida. Aqui, contudo, a composição vai além. O olhar fixo e determinado, a fisicalidade nos movimentos que exigem agilidade e o “carinho” abusivo com os outros estão conduzidos por Pattinson em uma atuação que merece lembrança em premiações.

Benny Safdie emociona do começo ao fim. A cena inicial já mostra que ele, o personagem e o filme não vieram para jogar baixo. Em uma lágrima, logo no começo do filme, ele consegue expressar tanta coisa… Cada fala dele é pesada e frágil. Essa dualidade é vista em vários momentos e pessoas. Um exemplo é Corey Ellman (Jennifer Jason Leigh, Amityville e Os Oito Odiados) e Crystal (Taliah Webster). A primeira, veterana, traça uma personalidade infantilizada na relação com a mãe e com Connie. Já a segunda, de 16 anos, quer/precisa ser madura além da conta.

Bom Comportamento não ter resoluções redondinhas para todos os personagens é um acerto, corroborando a fluidez dos acontecimentos. Mas mais acertado ainda é o corte da última cena permeando os créditos finais. Emoção sem pieguice, calcada na auto descoberta. Jornada, destino e ponto de partida ressignificados.

Not rated yet!

Bom Comportamento

Overview

Após um malsucedido assalto a banco, Constantine Nikas (Robert Pattinson) vê seu irmão mais novo (Bennie Safdie) sendo preso e embarca em uma odisseia no submundo da cidade em que vive, numa tentativa cada vez mais desesperada - e perigosa- de tirar seu irmão da prisão. Ao longo de uma noite repleta de adrenalina, Constantine encontra-se em uma onda de violência e caos enquanto ele corre contra o relógio para salvar seu irmão e ele mesmo, sabendo que suas vidas estão por um fio.

Metadata
Writer
Author
Runtime
Release Date 11 agosto 2017

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 1    Média: 4/5]