Adoniran, meu nome é João Rubinato (2020) – Crítica
Adoniran, meu nome é João Rubinato

Adoniran, meu nome é João Rubinato é um documentário sobre a vida e obra de Adoniran Barbosa, famoso nome artístico de João Rubinato. Adoniran, conhecido como pai do samba paulista, foi cantor, compositor e atuou em programas cômicos e mais de 10 filmes. Contudo, o nome por trás de “Saudosa Maloca” e o estrondoso sucesso “Trem das Onze” dispensa apresentações. O longa de Pedro Serrano (segundo trabalho na carreira) sabe disso e aposta em iniciar Adoniran, meu nome é João Rubinato já com o falecimento do artista. Assim, temos o foco em um saudosismo, mas logo vai além e questiona a figura em bons depoimentos contraditórios de amigos e familiares.

Outra opção inicial interessante é colocá-lo como narrador não confiável, seja por ser um contador de causos exalando malandragem, seja por ter alguma confusão como mostrado na questão das datas de nascimento. Assim temos uma camada deliciosa para nos relacionarmos com aquela figura. Aspectos delicados como o alcoolismo, dinheiro e até racismo também tem vez.

Adoniran, meu nome é João Rubinato

A cidade de São Paulo, musa do cantor, tem destaque. Pedro sabe conciliar imagens de diversas épocas com o que é narrado, por vezes tais imagens soam óbvias, por vezes são bons complementos. Mas tira um pouco de um viés convencional que boa parte do filme acaba se calcando. Toda forma, o trabalho de arquivo e de montagem merece destaque – vale a nota para uma imagem em preto e branco onde vemos uma fumaça de cigarro ganhando forma em um quadro belíssimo. Contudo, apesar de que, mesmo sendo relativamente curto (apenas 1h30), há uma certa barriga.

Duas das músicas mais famosas, justamente as duas supracitadas, são destrinchadas pelo próprio Adoniram, por críticos e parceiros musicais como Os Demônios da Garoa. O fazer musical, pensar sobre o samba, as repercussões internacionais e até a capacidade vocal de João Rubinato são também temas. Como é perceptível, há uma tentativa de abarcar várias facetas e nem sempre é possível ir a fundo ou trazer um panorama equilibrado. Como o que é posto no ato final onde vemos a figura do palhaço triste, elemento este que poderia ser mais trabalhado.

O texto do teórico Antônio Cândido escolhido para encerrar Adoniran, meu nome é João Rubinato tem potência e faz com que o fade out seja preciso. Porém há uma cena a mais a seguir que, mesmo boa, soa um pouco anticlimática. Como forma de (re)apresentar o biografado, o longa cumpre o papel. Como produto cinematográfico há ressalvas, mas tem um saldo positivo.

Confira as nossas outras críticas dos lançamentos de 2020 no Brasil:

Frozen 2
O Caso Richard Jewell
O Farol
Ameaça Profunda
Adoráveis Mulheres
Kursk – A Última Missão
Retrato de uma Jovem em Chamas
Os Miseráveis
O Escândalo
Um Espião Animal
1917
A Divisão
A Possessão de Mary
O Melhor Verão das Nossas Vidas
Um Lindo Dia na Vizinhança

 

Not rated yet!

Adoniran – Meu nome é João Rubinato

Overview

Adoniran Barbosa, autor de sucessos como "Trem das Onze" e "Saudosa Maloca", carrega o título de maior sambista paulista de todos os tempos. A cidade de São Paulo era a personagem principal de suas canções e radionovelas. Através de imagens de arquivos raras e nunca vistas antes, o compositor e cantor paulistano, que faleceu em 1982, é redescoberto pelo público.

Metadata
Director Pedro Serrano
Writer
Author
Runtime
Country  Brazil
Release Date 11 abril 2018
Actors
Starring: Adoniran Barbosa

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 0    Média: 0/5]