Os 3 Melhores Filmes de Fevereiro de 2020
Fevereiro

Fevereiro sempre é um ótimo mês para os cinéfilos no Brasil. Mas neste especificamente não tivemos grandes estreias (a maior parte dos longas do Oscar, por exemplo, chegou antes, em janeiro – confira aqui a nossa lista dos melhores de janeiro.

Este é um ranking pessoal, provavelmente não vai coincidir com o teu e nem com a dos outros autores do site. E sabe qual o legal disso? Tudo bem… Coloque nos comentários os teus mais queridos filmes de Fevereiro e vamos conversar …

Nos sigam também no Facebook e no Youtube

Vale para o ranking filmes lançados nos cinemas brasileiros em circuito comercial em Fevereiro. Vi 20 dos lançamentos do DF no período: Não chegou aqui em Brasília: Viver Lá, De Quem é o Sutiã? e Tarde para Morrer Jovem. E mesmo estreando aqui, não pude conferir a tempo deste post: os documentários, Inaudito e Modo de Produção, e os longa de ficção: Jovens Polcas, Matin Eden, Você Não Estava Aqui e Meu Nome é Sara, além da animação Os Under Undergrounds, o Começo.

Veja também a nossa lista dos piores do mês

Vamos ao pódio de Fevereiro :

3- O JOVEM AHMED


O longa tem uma proposta clara: até que ponto alguém pode ir pelo fanatismo? E será que ele pode ser dissuadido desta ideia? De maneira bem objetiva investigamos estas perguntas através dos atos de Ahmed, um jovem que está convertido para uma ala mais radical do islã. Sob influencia de uma figura controversa, ele acaba extrapolando um certo limite. O como as consequências deste ato reverberam. Várias cenas tensas, reforçadas por uma câmera muito próxima do protagonista nos colocam na pele dele. Um final de tirar o fôlego encerra o filme no momento certo. Mas ele não é excelente, mais do que isso não tem pretensão de sê-lo. A ideia é uma visão mais rasa mesmo, porém o atinge bem, tanto que foi premiado em Cannes.

2 – ANTOLOGIA DA CIDADE FANTASMA

Antologia da Cidade Fantasma

Antologia da Cidade Fantasma começa de um jeito abrupto: um acidente de carro ocasionando a morte do condutor. Logo vemos como este evento vai repercutir na pequena cidade. Lidar com o luto para muita gente é algo complicado, em uma cidade dessa proporção coisa toma outro peso Como se não bastasse, um novo elemento entra no jogo: Simon, o jovem que morreu, começa a aparecer para algumas pessoas e a coisa escalona. Vários outros elementos não vivos são quase personagens aqui: o frio, a cidade ou a consciência coletiva. Filmado em 16mm, temos um visual sujo, por vezes “errado”, dando um ar que se solta no tempo ou que foi esquecido por ele. A quase ausência de trilha sonora não diegética também nos transporta para aquele não-lugar. Corroborando então o gélido isolamento que é colocado de uma maneira a deixar as relações um tanto tortas. Muitas perguntas e poucas respostas dão o tom deste terror psicológico/alegórico – temos muita abertura temática. Além do lidar com os próprios fantasmas, pode-se discutir preconceito, maturidade, memória, depressão.

 

1- JOJO RABBIT

Jojo Rabbit trata traz uma paródia com os nazistas. A história é vivida sob o ponto de vista de um garoto de 10 anos, justamente o Jojo (Roman Griffin Davis) do título que é fanático pela ideologia, tem como amigo imaginário ninguém menos que Adolf Hitler (o diretor Taika Waititi acumulando funções). Claro que há adultos nazistas no filme (já que ele se passa na Alemanha dominada pelo Hitler), mas o foco ser infantil passa uma mensagem clara: só sendo uma criança para acreditar em algo tão absurdo. Jojo Rabbit brinca da forma mais lúdica e escrachada com isso ao não mostrar a parte mais pesada da coisa. Interpretado sob a luz da imaginação de Jojo, a figura do Hitler aqui serve como um reflexo da mente conflituosa do garoto. As discussões com o führer rendem os melhores diálogos, não só pelo absurdo em si, mas por ter essa camada a mais. Se tivesse uma categoria para atuação infantil Roman Griffin Davis teria que entrar. Ele consegue passar um carisma torto, uma inocência genuína e mesmo nos momentos mais dramáticos entregar um bom trabalho. Na parte técnica temos uma fusão da trilha, montagem e visual entregando o que um produto áudio-visual clama. Assim, além de um texto inspirado, sentimos o diálogo com o design de produção e figurino para a caracterização daquelas figuras tão marcantes ou na brilhante montagem (sem exagero) das cenas iniciais.

FEVEREIRO TEVE MUITA COISA, NÃO É MESMO? E PARA VOCÊ QUAIS OS MELHORES FILMES DO MÊS? PARA AJUDAR A RELEMBRAR: 

Confira as nossas outras críticas dos lançamentos de Fevereiro de 2020 no Brasil:

FILMES DE FEVEREIRO:

Dolittle
As Invisíveis
Cicatrizes
Antologia da Cidade Fantasma
Dilili em Paris
Maria e João – O Conto das Bruxas
O Preço da Verdade – Dark Waters
Sonic
O Grito
Quem me Ama, me Segue!
Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa
A Chance de Fahim
Jojo Rabbit

Confira também as nossas críticas dos filmes de janeiro:
Açúcar
E Agora? Mamãe Saiu de Férias!
Com Amor Van Gogh – Um Sonho Impossível
Testemunha Invisível
Bad Boys Para Sempre
Os Órfãos
Judy: Muito Além do Arco-íris
Adoniran, Meu Nome é João Rubinato
Frozen 2
O Caso Richard Jewell
O Farol
Ameaça Profunda
Adoráveis Mulheres
Kursk – A Última Missão
Retrato de uma Jovem em Chamas
Os Miseráveis
O Escândalo
Um Espião Animal
1917
A Divisão
A Possessão de Mary
O Melhor Verão das Nossas Vidas
Um Lindo Dia na Vizinhança

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 2    Média: 5/5]
Posts relacionados
  • 22 abr 2020
  • 0
AVISO !!! ESTE TEXTO CONTÉM SPOILERS DO SEXTO EPISÓDIO DA TERCEIRA DE WESTWORLD Se você quiser relembrar cada um dos episódios das temporadas anteriores, bem...
  • 21 mar 2017
  • 0
Katherine Heigl e Rosario Dawson são as protagonistas do filme, que marca a estreia de Denise Di Novi na direção   A Warner Bros. Pictures...
  • 2 jan 2020
  • 0
Melhores Filmes Nacionais de 2019. O público brasileiro tem muito preconceito com filmes nacionais. Considerando a média das produções dos últimos anos, esse preconceito decorre,...