Os 3 Piores Filmes de Fevereiro de 2020
Grito

Fevereiro geralmente tem muita coisa boa, pois ainda temos alguns resquícios do Oscar. Mas não é só de premiações que vive o cinema. Confira quais são as bombas do mês…. como boa notícia nenhum foi uma bomba gigantesca (não dei nenhuma nota mínima, diferente de janeiro que vários filmes queriam entrar no desonroso pódio – CONFIRA AQUI A NOSSA LISTA DOS PIORES DE JANEIRO DE 2020)

Vale as ressalvas: este é um ranking pessoal, provavelmente não vai coincidir com o teu e nem com a dos outros autores do site. E sabe qual o legal disso? Tudo bem… Coloque nos comentários os teus menos queridos filmes de Fevereiro e vamos conversar …

Nos sigam também no Facebook e no Youtube

Vale para o ranking filmes lançados nos cinemas brasileiros em circuito comercial em Fevereiro. Vi 20 dos lançamentos do DF no período: Não chegou aqui em Brasília: Viver Lá, De Quem é o Sutiã? e Tarde para Morrer Jovem. E mesmo estreando aqui, não pude conferir a tempo deste post: os documentários, Inaudito e Modo de Produção, e os longa de ficção: Jovens Polcas, Matin Eden, Você Não Estava Aqui e Meu Nome é Sara, além da animação Os Under Undergrounds, o Começo.

Veja também a nossa lista dos melhores do mês…

Para a minha surpresa o favorito Dolittle não entrou na lista, mas por mero detalhe… Aves de Rapina, Sonic, A Chance de Fahim e Quem me Ama me Segue poderiam também estar. Todos estes filmes, e os três que elegi como piores, tiveram duas estrelas.

 

Vamos ao pódio de Fevereiro (todos eles eu dei a mesma nota, então é só mero detalhe a ordem):

3 – O CHAMADO DA FLORESTA

O Chamado da Floresta - Fevereiro

O longa, baseado em uma história bem famosa, traz um elenco de nomes famosos como Harisson Ford e Omar Sy, contudo a estrela principal é um cachorro chamado Buck. A opção de colocá-lo todo em CGI não rendeu um bom resultado, deixando muito evidente que o bicho era em computação gráfica, tirando constantemente a imersão do filme e beirando o vale da estranheza. Além disso, há uma narração redundante e inconstante que não deixa a emoção surgir naturalmente. E o vilão é muito caricato e sem conexão com a história, tirando-o da trama, o filme funcionaria da mesma forma e teria um bem-vindo enxugamento. Mas O Chamado da Floresta não é de todo ruim, lembra um Sessão da Tarde e pode arrancar umas lágrimas e gritinhos fofos dos que apreciam um doguinho. Como eu disse na introdução, não conferi nenhum filme horrível no mês….

2 – O GRITO

Grito

O Grito, originalmente um longa de japonês de 2002, tem mais uma versão americana. Aqui temos uma típica história de maldição. O diferencial é que a casa cuja a maldição se instalou repercute a praga em qualquer um que entre no ambiente. Então vemos, de forma não linear, diversas histórias, mais ou menos conectadas, das pessoas que passaram ali. Com foco na Detective Muldoon (Andrea Riseborough). Fora a brincadeira com as linhas temporais, O Grito tem uma estrutura muito básica. Terror de jumpscare com personagens enlouquecendo ou achando que estão doidos e um gore explícito. As batidas do gênero ficam bem previsíveis, temos todos os clichês: crianças esquisitas, idosa esquisita, alguém fazendo algo muito estúpido, a entidade aparecendo e desaparecendo e tendo ou não um poder X ao bel prazer do roteirista, personagens perturbados ficando ainda mais perturbados e por aí vai…. Parece que O Grito foi feito às pressas e de maneira preguiçosa e isso fica claro na montagem, várias cenas são cortadas de forma brusca e parece que uma fração de segundo antes. O roteiro além de posicionar mal alguns personagens, cai na tentação de ser bastante expositivo. A questão da maldição é repetida algumas vezes. Como se fosse algo complexo demais para o espectador entender. Deixando claro: definitivamente não é.

1 – O PREÇO DA VERDADE (DARK WATERS)

O Preço da Verdade (Dark Waters, 2019)

O Preço da Verdade (e sim, vou reclamar do título nacional…) é tão ruim quanto os demais, contudo leva o título por ser o mais chato deles. O objetivo é ampliar o conhecimento sobre uma causa. Basicamente uma história de investigação judicial e um filme denúncia. Contando a história do advogado Rob Bilott (Mark Rufallo) que recebera um caso sobre uma contaminação da água na cidade da avó dele, e consequente envenenamento dos seres que a consomem, pela gigante empresa DuPont. Temos um misto de pressa e lentidão na apresentação do universo, no desenrolar dos fatos e na conclusão. Ou seja, do começo ao fim sentimos um ritmo bastante comprometido. Junta com a história ter caminhos extremamente convencionais, torna a experiência bem cansativa. A marcação temporal é bastante preguiçosa, uma tela preta com a data e uma explicação, usado e abusado a cada passagem de ano. O envelhecimento dos personagens não acompanha o tempo devidamente. O choque da proporção que a coisa leva, a importância temática e possíveis pesquisas futuras não entram no cômputo avaliativo aqui. Temos que separar as coisas, coisa que Haynes e companhia não o fazem ao se conformarem com o básico. O que é um tiro n’água já que um bom filme poderia dar ainda mais holofotes à causa.

FEVEREIRO TEVE MUITA COISA, NÃO É MESMO? E PARA VOCÊ QUAIS OS PIORES FILMES DO MÊS? PARA AJUDAR A RELEMBRAR: 

Confira as nossas outras críticas dos lançamentos de Fevereiro de 2020 no Brasil:

FILMES DE FEVEREIRO:

Dolittle
As Invisíveis
Cicatrizes
Antologia da Cidade Fantasma
Dilili em Paris
Maria e João – O Conto das Bruxas
O Preço da Verdade – Dark Waters
Sonic
O Grito
Quem me Ama, me Segue!
Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa
A Chance de Fahim
Jojo Rabbit

Confira também as nossas críticas dos filmes de janeiro:
Açúcar
E Agora? Mamãe Saiu de Férias!
Com Amor Van Gogh – Um Sonho Impossível
Testemunha Invisível
Bad Boys Para Sempre
Os Órfãos
Judy: Muito Além do Arco-íris
Adoniran, Meu Nome é João Rubinato
Frozen 2
O Caso Richard Jewell
O Farol
Ameaça Profunda
Adoráveis Mulheres
Kursk – A Última Missão
Retrato de uma Jovem em Chamas
Os Miseráveis
O Escândalo
Um Espião Animal
1917
A Divisão
A Possessão de Mary
O Melhor Verão das Nossas Vidas
Um Lindo Dia na Vizinhança

 

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 0    Média: 0/5]
Posts relacionados
  • 14 nov 2016
  • 1
O oitavo dia de festival era um dos mais aguardados por mim, por causa da pré-estreia de Jovens, loucos e mais rebeldes (Everybody wants some!!). Só...
Sundance
  • 22 jan 2018
  • 0
Para mais da Cobertura do Festival de Sundance 2018, siga o Razão de Aspecto no Facebook e no Youtube E os canais parceiros do #ConexãoSundance: Cinem(ação), Cine Drive Out, Artecines, OSete e Correio Braziliense. Acompanhe...
  • 3 fev 2020
  • 0
Scare Me / USA (Director and Screenwriter: Josh Ruben; Principal Cast: Aya Cash, Josh Ruben, Chris Redd, Rebecca Drysdale). Fred (Josh Ruben), a frustrated copywriter,...