Os 3 Melhores Filmes de Setembro de 2019
Posters para "A Coisa: Capítulo 2"

Melhores Filmes de Setembro. Neste mês, os filmes de terror se destacaram entre os grandes lançamentos. A proximidade da temporada de premiações também trouxe aos cinemas brasileiros alguns dos favoritos às categorias técnicas e de atuação.

Confira a lista dos meses anteriores:

Os 3 Melhores Filmes de janeiro de 2019

Os 3 Melhores Filmes de Fevereiro de 2019

Os 3 Melhores Filmes de Março de 2019

Os 3 Melhores Filmes de Abril de 2019

Os 3 melhores Filmes de Maio de 2019.

Os 3 melhores Filmes de Junho de 2019.

Os 3 Melhores Filmes de Julho de 2019.

Os 3 Melhores Filmes de Agosto de 2019.

 

E agora, vamos ao pódio do mês:

 

3- Ad Astra: Rumo às Estrelas

Do ponto de vista técnico, Ad Astra é um prazer absoluto. Efeitos digitais e visuais de altíssimo nível, uma fotografia que sabe explorar a vastidão do espaço, as amplas e monótonas paisagens lunares e o vermelho opressivo de Marte, ao mesmo tempo em que contrapõe os espaços fechados das naves espaciais e os closes e hipercloses de Brad Pitt. Não há que se surpreender com o primor visual do filme se levarmos em conta que o suíço Hoyte Van Hoytema, responsável pela fotografia, tem em seu currículo, por exemplo, Interestelar (2014) e Dunkirk (2017). Aposta fácil para indicação ao Oscar.

 

2- It: Capítulo 2

It: Capítulo 2 funciona como filme de terror e resulta em uma adaptação digna da obra de Stephen King, ainda que seja um pouco inferior ao seu predecessor. Se não se aprofunda no debate de várias questões que levanta, pelo menos faz o público se chocar com algumas cenas que  dizem muito sobre a sociedade em que vivemos, embora tenha sido escrito há mais de trinta anos. Somente por essas razões, vale a pena ser visto nos cinemas.

 

1- Midsommar: O Mal Não Espera a Noite

Midsommar é mais um exemplo bem-vindo de um tipo de terror – do qual também faz parte o maravilhoso A Bruxa, de 2015 – que deixa o jump scare e as sequências de assassinatos de lado, e aposta na evocação de um mal estar crescente. Não se trata de uma obra para se ver despreocupadamente numa matinê: o filme tem cenas graficamente fortes e muita nudez. Aliás, talvez seja esse um dos riscos que o filme corra: há alguns momentos que exigem do espectador a compreensão da ritualística envolvida, sob o risco de gerar mais risos do que pavor.  De toda forma, para quem gosta de terror com conteúdo, é obra para ser vista e revista.

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 1    Média: 5/5]
Posts relacionados
  • 26 jan 2016
  • 2
Mais três filmes de Sundance no Razão: Little Men, Complete Unknown e Outlaws and Angels.
  • 11 jan 2017
  • 0
Assassin’s Creed é um esforço mais honesto que a média de se fazer um bom filme baseado em um videogame, mas Hollywood ainda não encontrou...
  • 7 ago 2014
  • 1
O amadurecimento é um processo doloroso para todos os seres humanos. Aprendemos com as experiências (ou não), evoluímos com os fracassos, crescemos com as dificuldades...