Game Of Thrones – Oitava Temporada. Espisódio 1: Winterfell – Com Spoilers!

Game of Thrones está de volta para encerrar a saga que tem mobilizado a audiência ao longo desta década. As expectativas são altas, a ansiedade é grande.

Confira o debate completo sobre a sétima temporada na Mesa Quadrada ecspecial sobre Game Of Thrones!

A pergunta que não quer calar é: o primeiro episódio da última temporada atendeu às expectativas do público? A resposta é ambígua: sim e não.

Do ponto de vista da trama, Winterfell foi um episódio eficiente na sua configuracão, na contextualização dos personagens e na realização de alguns reencontros mais do que esperados pelo público: Jon Snow a Arya, Jon Snow e Sam, Jon Snow e Bran, Arya e Gendry, Arya e Sandor Clegane, Sansa e Tyrion e, é claro, Jon Snow e os Lordes do Norte. Por o fim, tivemos o reencontro mais surpreendente do episódio, ainda que previsível, entre Bran e Jamie. Além disso, os novos encontros seriviram para aumentar a tensão, especialmente entre Sansa e Daenerys e entre Daenerys e Sam. Para além dos reencontros, Winterfell entregou algumas revelações e alguns acontecimentos mais do que esperados: Jon Snow montou no Dragão, e Sam revelou a ele a verdade sobre sua origem. Além disso, tivemos clareza em relação os planos de vingança de Cersei, que contrata Bronn para matar seus dois irmãos, a volta de Euron Greyjoy e o resgate de Yara por Theon, fechando, assim, o ciclo dos grandes eventos.

Se, em termos de desenvolvimento, Winterfell tem bom resultado, a execução do episódio oscilou. Algumas cenas são excelentes do ponto de vista visual – a sequência da chegada do exército ao Norte, quando do garoto Umber faz um paralelo com o comportamento de Arya no episódio piloto, e o voo dos dragões são lindamente executados -, enquanto outras sequências são visualmente patéticas e mal dirigidas – o voo duploe de Jon Snow e Daenerys com os dragões foi ruim de doer. A forma como Jon Snow consegue montar o dragão foi anticlimática e sem nenhuma intensidade, mais relacionada a uma brincadeira romântica do que a uma descoberta da sua origem. Além disso, a cena na qual Tormund, Berick Dondarion e os sobreviventes da muralha encontram ao jovem Umber pregado à parede como uma mensagem do Rei da Noite foi impactante e visualmente linda.

Confira as críticas das temporadas anteriores de Game Of Thrones!

Alguns encontros e reencontros tiveram muita tensão dramática e foram emocionantes – Arya e Jon, Jon e Sam, Sansa e Tyrion protagonizaram cenas de altíssimo nível no texto e nas atuações. O reencontro de Arya com Gendry e o Cão de Caça, por exemplo, foi totalmente anticlimático. Particularmente, não gostei que ela tenha reencontrado os dois ao mesmo tempo e esperava que, depois do desfecho da quarta temporada, Arya e o Cão tivessem mais contas a acertar, ou, pelo menos, outra forma de acertá-las, com mais intensidade emocional.

Em função do pequeno número de episódios dessa temporada, Winterfell pareceu tentar tirar do caminho alguns fan services e resolver alguns desses arcos o mais rápido possível, para que a trama possa seguir para o seu desfecho. Se, à primeira vista, parece apressado, em um segundo momento, pode-se compreender a necessidade de fazer tudo tão rapidamente. Como um primeiro episódio de temporada, Winterfell juntos algumas pontas que continuavam soltas e empurrou a história pra frente. Não se trata de um episódio quie se destaca individualmente, é claro. Causa sentimentos ambíguos.

A partir de agora, deveremos descobrir quais são so próximos passos de Jon Snow, após desocbrir sua origens. Aposto na teoria de que Jon manterá segredo, ao menos por enquanto, e pedirá a Sam que faça o mesmo, de forma a não causar desagregação às vésperas da batalha contra os Caminhantes Brancos. O caminho natural, ao que tudo indica, seria o casamento entre Jon e Danerys – nenhuma novidade nas monarquias e menos ainda entre os Targeryen -, mas, como já sabemos, em Game Of Thrones, o caminho natural sempre é interrompido por algum desastre. Se Jon Snow for Azor Ahai, ele precisará do sangue de sua amada para forjar a espada que derrotará do Rei da Noite – neste caso, o sangue de Daenerys. Acredito e aposto nesta teoria há algum tempo, mas tudo pode acontecer.

Neste primeiro episódio, não tivemos nenhuma morte relevante (não esqueçamos dos soldados de Euron Greyjoy), o que apenas aumenta a expectativa e o temor sobre o que ocorrerá nos próximos episódios, incluindo a Batalha de Winterfell. Que a qualidade narrativa volte corresponder ao padrão que a própria série estabaleceu e nos traga episódios épicos!

 

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 1    Média: 4/5]
Posts relacionados
  • 24 nov 2017
  • 0
(as partes anteriores do especial você encontra aqui:  1ª parte; 2a parte; e 3ª parte)   Charles II Com a morte de Cromwell, a monarquia...
  • 11 jul 2016
  • 1
Gênero: Documentário Direção: Belisario Franca Roteiro: Belisario Franca, Bianca Lenti Produção: Maria Carneiro da Cunha Fotografia: Lula Cerri, Mário Franca, Thiago Lima Montador: Yan Motta Trilha Sonora: Armand Amar Ano: 2016 País: Brasil Cor: Colorido...
  • 9 mar 2017
  • 0
Negação é um drama de tribunal, que dramatiza a luta legal da escritora Deborah E. Lipstadt (Rachel Weisz) contra David Irving (Timothy Spall), escritor que pregava a...