As Dez Melhores Séries de 2018

Melhores séries de 2018. Prosseguindo nossa jornada das listas de melhores do ano, chegou a hora de discutir quais foram as dez melhores séries de 2018!

Esta lista foi difícil de compor, afinal de contas, não é possível assistir todas as séries lançadas no Brasil e no mundo. Além disso, pessoalmente, não me interesso por seriados da Marvel ou da DC, o que os elimina, automaticamente, da minha lista.  Apesar das limitações, vi um grande número de séries e acredito que consegui chegar a uma lista que reflete a qualidade das produções e, claro, o meu gosto.

A grande surpresa, para mim mesmo, é a segunda temporada de The Handmaid’s Tale não estar entre as minhas dez favoritas em 2018. Não apenas a nova temporada teve seus problemas, mas também tivemos o lançamento de excelentes séries e temporadas de séries consagradas, todas capazes de deixar no esquecimento algumas das melhores produções dos últimos anos. Por fim, algumas das séries cujas sequências são muito esperadas ficaram para 2019, como Game Of Thrones,  Fargo,  Stranger Things, Mindhunter, Dark e Big Little Lies.

Primeiro, as menções honrosasÇ

You

The Good Place

The Staircase

Killing Eve

Gênio Diabólico

Bobby Kennedy for President

Barry

 

Confira a lista das dez melhores séries de 2017!

 

Finalmente, a lista das dez melhore séries de 2018!

10- Get Shorty  

Miles Daly (Chris Dowd) é capanga de uma terrível gangue de assassinos em Nevada. Um trabalho difícil, e muito perigoso, para o bem-estar de sua filha. Ao tentar mudar de vida, seus planos se frustram quando, em vez de abandonar a vida no crime, Miles acidentalmente leva a máfia para a indústria de cinema de Los Angeles — transformando-a numa grande lavanderia de dinheiro sujo

Com o tom cômico, que, por vezes, caracterizava Breaking Bad, Get Shorty é viciante para os fãs de cinema e de histórias de máfia, engraçada e violenta na dose certa.

9- Maniac

Owen (Jonah Hill) é um jovem rico e esquizofrênico. Annie (Emma Stone) tem uma vida conturbada por sérios problemas familiares. Ambos see inscrevem numa bizarra experiência para compreender a mente humana, com o objetivo de terminar qualquer tipo de dor, misturando fantasia e realidade.
Maniac é uma série complexa e alegórica sobre solidão, depressão, aceitação e, principalmente, sobre como as pessoas se relacionam no mundo moderno. Para além do elenco estelar, Cary Fukunaga (também criador de True Detectives) faz um grande trabalho no gênero da comédia de suspense. Uma série imperdível.

8- Making a Murderer – Segunda Temporada

Esta série documental O conta a história de Steven Avery. Após ter passado 18 anos preso por um crime que não cometeu, ele consegue a liberdade devido a um exame de DNA que prova sua inocência. A história vira notícia e, quando está prestes a ganhar uma gigantesca indenização pelo Estado, Avery se torna o principal suspeito do assassinato da fotógrafa e jornalista Teresa Halbach.

Na segunda temporada, destaca-se a nova advogada de Steven, que coloca em xeque todas as provas e teorias apresentadas pela acusação. Independentemente de qual seja a opinião do espectador, a segunda temporada de  eleva o nível do debate sobre as falhas do sistema de justiça penal.

7- Wild Wild Country

Segunda série documental da lista e a maior surpresa do ano, Wild Wild Country é a prova de que a realidade supera a ficção. A história da passagem de Bagwan Rajnesh – mundialmente famoso como Osho – pelo Oregon é inacreditável, cheia de reviravoltas, crimes tentativas de assassinato e acusações de todos os tipos. Se fosse um roteiro de ficção, seria considerado inverossímil. Para os fãs de séries documentais, Wild Wild Country é viciante, eletrizante e memorável.

6- A Maldição da Residência Hill

Em A Maldição da Residência Hill, Mike Flanagan levou o nível das séries de terror (e também da própria produção cinematográfica) a níveis inimagináveis, ao combinar o alcance de público, a qualidade do roteiro e nível da produção. Em um rara combinação de drama familiar e terror, A Maldição da Residência Hill é assustadora, bela e sofisticada na técnica. O episódio 6, em especial. é de uma exuberância técnico-narrativa de cair o queixo. Por muito pouco, não alcançou o pódio da lista.

5- Homecoming

Dirigida por Sam Esmail, criador de Mr. Robot, Homecominga nova série original da Amazon, é uma pérola para os fãs das narrativas de suspense e de terror, no melhor estilo de Hitchcock.

Poucas séries conseguem unir objetividade – e Homecoming tem episódios curtos, de cerca de 30min cada -, valor de produção, complexidade temática e curiosidade capazes de me levarem a uma maratona para acabar todos os episódios. Em alguns momentos, me senti assistindo Corra! , em outros momentos, Intriga Internacional, mas, em todos os episódios, tive certeza de que a Amazon acertou em cheio e produziu uma das melhores séries do ano e uma das melhores séries de suspense da nova era da TV.

4- WestWorld

Apesar dos deslizes, bem superiores aos da primeira temporada, Westworld seguiu sendo uma das séries mais interessantes da atualidade, tanto pela qualidade da produção quanto pelos temas discutidos. Com a próxima temporada prevista para apenas para 2020, muitas teorias e discussões terão lugar. Espera-se que Joy e Nolan encontrem um equilíbrio um pouco mais preciso entre intrigar a audiência e contar uma boa história. Até lá, vamos congelar nossas funções motoras.

Confira a Mesa Quadrada sobre WestWolrd!

3- Objetos Cortantes

Camille Preaker (Amy Adams) é uma repórter que precisa retornar à sua cidade natal para acompanhar as investigações dos misteriosos assassinatos de duas adolescentes. O retorno a Wind Gap também traz à tona os fantasmas de seu passado, já que Camille será forçada a reencontrar a sua mãe, a hipocondríaca Adora Crellin (Patricia Clarkson), a meia irmã, que mal conhece, Amma (Eliza Scanlen), e o padrastro Alan (Henry Czerny). Ao mesmo tempo, ela lida com distúrbios emocionais, após uma temporada em uma instituição psiquiátrica.

Dirigida Por Jean Marc Valet (0 mesmo de Big Little Lies)  e adaptada do romance homônimo de Gillian Flynn, Objetos Cortantes  é sombria, sem concessões ao otimismo. Uma história envolvente para o público mais maduro.

2- Ozark – Segunda Temporada

Ozark é, sem dúvida, a série mais subestimada dos últimos tempos. Na segunda temporada, a escalada de violência, o desenvolvimento dos personagens, os arcos dramáticos aprofundados de Wendy e Ruth, a fotografia esplendorosa e a tensão permanente fazem de Ozark uma produção de nível altíssimo, que merece a atenção do público. A primeira temporada já havia sido incluída na lista das dez melhores séries de 2017.

1-  Atlanta – Segunda Temporada

Atlanta é a comédia mais inteligente da TV nas últimos duas décadas – fazendo uma concssão a Seinfield, por uma questão geracional. Numa mistura de sarcasmo e surrealismo, Atlanta nos premia com episódios quase oníricos, semi-absurdos, mas, ao mesmo tempo, palpáveis, que resultam em estranhamento positivo por parte do espectador. Nesta segunda Temporada, o episódio Teddy Perkins mereceria ser guardado para a história da humanidade.

Concorda com a lista ? Publique a sua nos comentários!

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 19    Média: 2.7/5]
Posts relacionados
  • 28 maio 2019
  • 0
Brightburn: O Filho das Trevas — péssimo subtítulo incluído no nome do filme no Brasil – nada mais é do que um distopia do universo...
  • 9 nov 2016
  • 1
Um filme imprescindível para quem gosta de cinema e para que possamos entender o sentido da barbárie que muitas pessoas tentam relativizar.   Gênero: Drama Direção: Nate...
  • 4 fev 2019
  • 0
Depois de uma longa e intensa cobertura, chegamos ao final do Festival de Sundance 2019. Hora de anunciar os vencedores. (ENG) After a long and...