Os Dez Melhores Filmes Nacionais de 2018

Os Dez Melhores Filmes Nacionais de 2018. Alerta: nossa lista de melhores filmes nacionais de 2018 é editorial, discutida entre toda a equipe do Razão de Aspecto. Portanto, não se atenha à nota das críticas, porque a nota é individual, exclusiva do autor do texto, e a posição do filme na lista reflete a opinião do conjunto dos críticos!

O público brasileiro tem muito preconceito com filmes nacionais. Considerando a média das produções dos últimos anos, esse preconceito decorre, quase totalmente, do desconhecimento dos grandes filmes. Infelizmente, as melhores produções, com poucas exceções, têm pouco espaço de distribuição e pouca verba de marketing, enquanto as superproduções de comédias pastelão – a maioria de baixíssima qualidade – têm espaço de sobra. Por isso, o Razão de Aspecto faz a sua última lista do ano sobre o cinema brasileiro, como forma de mostrar a importância e o valor que essa produção tem para a nossa formação como cinéfilos.

Somente em 2018, o Brasil teve dezenas de produções nos mais importantes festivais internacionais do mundo, com mais de dez representantes entre o Festival de Sundance e o Festival de Berlim. O reconhecimento internacional da nossa produção cinematográfica tem crescido, entretanto, é necessário que o público brasileiro também a reconheça. O Razão de Aspecto faz a sua parte, escolhendo as melhores produções do ano e, de certa forma, levando ao conhecimento do grande público obras que possam ter passado despercebidas.

Na nossa lista, temos filmes sobre temas diversos, de linguagem mais poética e de linguagem mais comercial, documentários e ficção. O ponto em comum: todos são filmes de grande qualidade.

Confira a lista dos dez melhores filmes nacionais de 2016

Confira a lista dos dez melhores filmes nacionais de 2017

Opinem, comentem, discordem, indiquem a sua lista dos melhores filmes de 2018. Depois de publicada, a lista é de vocês, leitores, e esperamos que seja útil!

 

10- O Beijo no Asfalto

Um show de interpretação. Atores do quilate de Lázaro Ramos, Stenio Garcia, Débora Falabella e a rainha Fernanda Montenegro fazem a leitura do texto de Nelson Rodrigues. Com isso, o diretor Murilo Benício, na estreia na função, consegue acrescentar e tornar relevante mais uma adaptação da famosa rodriguiana.

9- O Animal Cordial

Um dos filmes brasileiros mais polêmicos do ano,  O Animal Cordial é tanto uma fábula sobre nossa sociedade  como um conto de horror alegórico a respeito de sujeitos descartáveis. Um filme que pode não agradar todos os públicos, mas que merece ser visto por todos.

8- A Mata Negra

Terror nacional genuíno. Um dos longas mais intensos e apavorantes do gênero no ano. Um valor de produção estupendo, principalmente na maquiagem. A parte sobrenatural é usada sem parcimônia, mas nunca caindo no caricato. A história é instigante e cativante. O final abre para uma promissora sequência.

 

7- O Fantástico Patinho Feio

Tivemos o prazer de ver O Fantástico Patinho Feio no Festival de Brasília de 2017 e foi um dos melhores longas daquela edição. Neste mês, felizmente, ele chegou em circuito comercial. Como o diretor Denilson Félix falou: é uma história tão inacreditável que é surpreendente que nunca tenha virado filme. O documentário narra a aventura de um grupo de amigos na década de 60, em Brasília, que construiu no quintal de casa um carro para competir em uma das principais corridas do calendário nacional. O início contextualiza a paixão local com o momento social e político da época. Boa parte do filme são carismáticos depoimentos dos envolvidos. E o desfecho uma emocionante descrição da corrida. A inevitável tecnicalidade ao falar de partes do carro não tirou o interesse – o que é um mérito para o diretor e um desafio para um público amplo. O efeito é até emocionante conseguindo me levar às lágrimas. Tal qual Rocky não é um filme só sobre boxe, este não é só sobre carros, mas sobre sonhos.

Confira a nosso comentário em texto de O Fantástico Patinho Feio na cobertura do festival de Brasília em 2017

E aqui o vídeo na saída da sessão

6- Aos Teus Olhos

Aos teus Olhos trata, também, dos efeitos devastadores da difamação na internet na vida das pessoas, especialmente em relação a falsas acusações. Em Aos Teus Olhos, chegamos ao linchamento moral, mas, infelizmente e não raramente, no Brasil esse tipo de situação leva a o linchamento físico de pessoas inocentes. Por isso, o filme de Carolina Jabor tem grande relevância, para além da excelente direção e da estupenda interpretação de Daniel de Oliveira.

5- Ferrugem

Ferrugem trata de um tema universal – o vazamento de vídeos íntimos de adolescentes nas redes sociais e suas consequências – com uma linguagem visual também universal, mas nem por isso menos representativa dos vários Brasis a serem representados no cinema. A história de Tati e René poderia ser a história de milhões de adolescentes no mundo inteiro e, de certa forma, é a história de todas as vítimas da traição da confiança.

omo você reagiria se sua filha tivesse um vídeo íntimo vazado? Você a julgaria por ter-se deixado filmar?  Você ficaria com vergonha? Você a apoiaria a ajudaria a superar a situação ? Seu relacionamento com seus filhos permite esse tipo de conversa ou você descobriria somente quando fosse tarde demais?  Estas são algumas das perguntas que Ferrugem nos deixa para serem respondias.

Para muito além de superproduções como Os 13 Porquês, da Netflix, Ferrugem é um filme necessário para o nosso tempo, para os pais e para os filhos desta geração. Uma história de ficção tão realista que poderia ser a de qualquer um de nós.

4- Pela janela

Pela Janela não tem este título por acaso, a metáfora de expandir o olhar para para novos conhecimentos, novos mundos, é visível. Em diversas cenas vemos esse abrir de Janela, literal ou não. Uma das marcas é o belíssimo momento nas cataratas. A lavagem, quase um rito de passagem, é tocante e muito bem filmada (já falei que estou espantado, como é o primeiro trabalho da diretora?).

No fim entendemos que sim Rosália tinha muito a descobrir, que o aprendizado é constante, mas principalmente vemos como ela ainda tem a ensinar. Azar do ex-empregador dela. Sorte a nossa. Os diversos prêmios que Pela Janela tem angariado mundo a fora são plenamente entendíveis. Guardando algumas proporções, lembra Lucky, filme do ano passado e que foi o último trabalho de Harry Dean Stanton

3- Arábia

Apesar das controvérsias dentro da queipe do Razão de Aspecto, Arábia consolidou-se como um dos melhores filmes brasileiro de 2018, com um tema relevante e um tratamento visual e interpretativo raros no cinema brasilerio contemporâneo.  Mais do que um bom filme, Arábia é um filme necessário para o o Brasil dos nosso dias.

2- As Boas Maneiras

Mais um terror nacional de ótima qualidade, com grande originalidade na abordagem e no tratamento do tema. Se fosse um filme estrangerio, teria recebido muito mais atenção do que recebeu. Se você não conferiu. aproveite a primeira oprtunidade para assistir a essa grande obra.

1- Benzinho

a abertura do Festival de Sundance, em janeiro de 2018, o longa brasileiro Benzinho lotou o Egyptian Theatre e comoveu o público estadunidense,.

Com roteiro consistente de Karine Telles e do também diretor Gustavo Pizzi  Benzinho tem direção consistente, que equilibra todos os elementos da narrativa, do drama ao humor,  e constrói um filme sensível e comovente. Nos últimos anos, poucos filmes brasileiros conseguiram unir competência técnica e narrativa como Benzinho, e nenhum filme brasileiro me bateu tão forte na alma desde Que Horas Ela Volta?Trata-se do melhor filme brasileiro de 2018, inexplicavelmente preterido da vaga brasileira para a disputada Oscar de Melhor filme Estrangeiro.

 

Concorda com alista? Publique a sua nos comentários!

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 14    Média: 3.1/5]
Posts relacionados
  • 5 set 2018
  • 0
Melhores filmes de agosto. Demorou um pouco mais que o habitual, mas aqui está a lista dos melhores filmes do mês de agosto. Em agosto,...
51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro
  • 20 set 2018
  • 0
No sexto dia do 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro foram exibidos, na Mostra Competitiva, 2 filmes: o curta Aulas que Matei e o longa Ilha....
  • 21 maio 2017
  • 0
Em mais uma edição da Mesa Quadrada, Daniel Guilarducci, Maurício Costa, Aniello Greco e Lucas Albuquerque discutiram a obra de Ridley Scott e gastaram um...