Jackie (2016) – Cinema em um parágrafo

Jackie foi indicado em 3 categorias do Oscar

 

Temos a história de como Jacqueline Kennedy reagiu ao assassinato do marido em 1963, o então presidente JFK. Ao optar por desenrolar a trama em diferentes períodos, o longa perde força rítmica e pouco acrescenta com tal opção. Vemos um belo e triste cenário humano, porém que cai para o melodrama fácil. A trilha sonora, no entanto, não é piegas como a narrativa e merece a lembrança da academia. O mesmo não dá para dizer sobre a direção, a câmera fica muito próxima do rosto de Natalie Portman como que para nos evidenciar até a última lágrima da atriz. A atuação dela é monotônica, mas forte – outras mulheres, contudo, mereceriam mais a vaga ao Oscar. As participações fora da protagonista são episódicas e rasas. Algumas cenas têm impacto positivo, como as que envolvem os filhos, já outras cansam o público – como no arco com o entrevistador, onde vemos infinitos planos e contraplanos, dando um ar muito marcado. Jackie não é um desastre completo, longe disso, mas se boicota e não emociona. Trabalho muito mais completo e complexo foi apresentado pelo mesmo diretor, Pablo Larraín, em Neruda. O instável (e ao mesmo tempo super estável) Jackie fica, portanto, apenas com a nota 2,5/5

A ficha técnica pode ser lida aqui.

Quer mais filmes das indicadas ao Oscar? Veja nossos textos sobre: 

Elle – Isabelle Huppert

La La Land – Emma Stone

Florence – Meryl Streep

——————————————————————————–

Confira também o link com as nossas críticas sobre os indicados das outras categorias

Posts relacionados
  • 7 dez 2016
  • 0
THRILLER CHEGA AOS CINEMAS EM 23 DE MARÇO DE 2017 Em uma parceria inédita, o diretor M. Night Shyamalan (“O Sexto Sentido” e “A Visita”)...
  • 11 dez 2016
  • 0
  Maurício Costa comentou Como Você é logo após a sessão. Um excelente drama de suspense sobre a juventude dos anos 1990. Nota do Razão...
  • 14 fev 2017
  • 0
Zemeckis tentou realizar algo parecido com aquilo que Demian Chazelle fez em La La Land, porém com menos êxito. Resultou em uma versão “nutella” dos clássicos....