Extremis (2016) – Cinema em um parágrafo
Extremis é a primeira chance da Netflix levar um Oscar. O documentário curta-metragem produzido pelo serviço de streaming retrata a dura realidade de médicos, pacientes e familiares ao decidirem se manterão ou não pessoas em estado terminal ligadas a máquinas de respiração artificial. A escolha aqui é entre prolongar artificialmente uma vida sem prognósticos de melhora, mas a custa de sofrimento. O curta acompanha brevemente esta dura decisão em três pacientes, um deles sem familiares conhecidos. Dan Krauss optou por uma linguagem simples, direta e expositiva, dando voz a médicos familiares e retratando quão difícil é confiar na capacidade de julgamento dos pacientes terminais. Espaço igual é dado a medicina e a fé, razão e emoção, e se fala em espera de um milagre sem tom pejorativo ou de pregação religiosa. Graças a esta escolha o filme consegue ser emocional sem cair na pieguice ou em uma liguaguem de denuncia ou discurso político. Um curta importante para se assistir em um momento no qual nós, brasileiros, estamos refletindo sobre a ética médica diante de quadros terminais. Nota 5/5.
Interessado em filmes que geraram polêmicas acerca de pacientes terminais? Veja a critica de Sob Pressão. E não deixe de acompanhar as críticas dos indicados ao Oscar de 2017.
Posts relacionados
  • 21 nov 2019
  • 0
Longa que estreia hoje (21/11) no Brasil vem conquistando importantes prêmios mundo afora ‘A Vida Invisível’, de Karim Aïnouz, acaba de ser indicado ao Independent...
  • 13 mar 2017
  • 1
Pegue a violência extrema como instrumento de sátira, a moda Tarantino. Misture com um estilo visual e escolha de cenários que lembram os irmãos Coen....
Visages, Villages
  • 6 mar 2018
  • 0
Dirigido por Agnès Varda e JR, Visages, Villages (Faces, Places),  foi eleito o melhor documentário no ‘Spirit Awards’, prêmio do cinema independente americano. O anúncio foi feito no último sábado...