Netflixing: Clinical (2017) – Cinema em um Parágrafo

A Netflix não começou bem o ano nas produções originais. Um amontoado de clichês e opções ruins da direção marcam Clinical. O suspense/terror traz uma psiquiatra que tem que seguir a carreira, após ter tido uma experiência traumática com uma das pacientes. A premissa não é original, mas poderia render um filme interessante. O diretor Alistair Legrand falha em vários aspectos: abusa do recurso de subir o som de forma brusca para impressionar e/ou criar um clima – o tiro, claro, sai pela culatra. A montagem picota algumas cenas na tentativa de dar intensidade aos fatos, outra vez o resultado é o oposto. E coisas como câmera na mão e colocar a tela toda preta também compõe os recursos limitados de Legrand. O terceiro arco consegue superar os fracos momentos anteriores do filme e entregar uma resolução quase tão patética, quanto óbvia. Até mesmo o sangue, comum nesse tipo de gênero, é mal utilizado – soando gratuito. Nota: 1,5/5

Ficha técnica de Clinical

Quer mais filmes presentes no catálogo da Netflix? Leia nossos textos sobre:

O Começo da Vida

Sing Street

Um Cadáver para Sobreviver

Posts relacionados
  • 16 abr 2015
  • 0
– a primeira parte deste texto você encontra aqui; – a continuação deste texto, aqui. Charlie Cox interpreta, com absoluta competência, um Matt Murdock de...
Retrospectiva
  • 31 dez 2017
  • 0
A nossa última Mesa Quadrada do ano não poderia ser outra: retrospectiva de 2017 – falando dos melhores e piores filmes eleitos pela nossa equipe....
  • 23 jul 2018
  • 1
Muito antes de Tom Cruise invadir prédios e se pendurar em aviões em plena decolagem, no papel do agente Ethan Hunt, a Impossible Mission Force...