Netflixing: Blue Jay (2016) – Cinema em um parágrafo
Blue Jay é uma pérola de sensibilidade e sutileza como narrativa de um romance fracassado. Mark Duplass e Sarah Paulson têm a química perfeita como casal e nos entregam interpretações comoventes, capazes de nos fazerem sentir como se estivéssemos presenciando aquela conversa. E não se trata de um elogio vazio, já que o filme se baseia quase exclusivamente na interação dos dois personagens. Tudo no filme funciona perfeitamente; a fotografia em preto e branco cria a atmosfera de nostalgia que caracteriza aquele reencontro fortuito, a trilha sonora não é invasiva e se destaca tanto diegética quanto não diegeticamente, e a direção é sutil, mas atenta à simbologia nos mínimos detalhes. O primeiro instinto nos leva a comparar Blue Jay com a série de filmes de Richard Linklater ( Antes do Amanhecer, Antes do Pôr-do-Sol e Antes da Meia-Noite), mas o filme tem muito mais ecos da obra de Woody Allen, não o Allen dos últimos 20 anos, mas aquele de seus primeiros trabalhos, capaz de realizar obras primas como Annie Hall e Manhattan. Não se trata da emulação da técnica, mas, sim, da mesma capacidade de refletir um espirito de época sobre relacionamentos, nos moldes  de 2016. Nota 5/5

Quer mais críticas sobre romances?

O BEBÊ DE BRIDGET JONES – CINEMA EM UM PARÁGRAFO

UM NAMORADO PARA A MINHA MULHER (2016) – CINEMA EM UM PARÁGRAFO

A ROSA PÚRPURA DO CAIRO

Posts relacionados
  • 28 mar 2020
  • 0
AVISO !!! ESTE TEXTO CONTÉM SPOILERS DO PRIMEIRO EPISÓDIO DA TERCEIRA DE WESTWORLD ——— xxx ——— Após quase dois anos de hiato, finalmente a série Westworld, da...
  • 29 set 2017
  • 2
Setembro trouxe muitos filmes que sacudiram as salas de cinema e os debates nas redes sociais. Aqui no Razão de Aspecto tivemos a cobertura do...
  • 3 nov 2016
  • 0
Doutor Estranho é a prova que a Marvel/Disney sabe ganhar dinheiro e sabe também gastá-lo muito bem. Gênero: Aventura Direção: Scott Derrickson Roteiro: Jon Spaihts, Joshua Oppenheimer, Thomas...