CREEPY (2016) – CINEMA EM UM PARÁGRAFO
Um filme obrigatório para os fãs de suspense e terror.
 
 
Filmes de suspense e terror orientais geralmente têm grande qualidade. A principal delas é a de fazer parte de uma cultura diferente, com referências diferentes, que resulta em narrativas muito diferentes daquelas a que estamos acostumados no Ocidente. Nos últimos anos, o cinema coreano tem ganhado espaço nas nossas salas de cinema com excelentes filmes – em 2016, por exemplo, tivemos os espetaculares O Lamento e Invasão Zumbi. O cinema de suspense e terror japonês, por sua vez, perdeu espaço depois das adaptações cinematográficas de Hollywood de O Grito e o Chamado, mas não perdeu sua qualidade. Creepy, dirigido por Kiyoshi Korosawa, chega a poucas salas de cinema brasileiras, mas merece se visto. O filme conta a história de Takakura (Hidetoshi Nishijima), um ex-detetive. Convidado por um antigo colega, Nogami (Masahiro Higashide),  Takakura passa a investigar o caso de uma família desaparecida há seis anos. Enquanto isso, seu novo vizinho, Nishino (Teruyuki Kagawa), tem uma mulher doente e uma filha adolescente, Mio. Porém, um dia, Mio confessa a Takakura que o homem não é o seu pai e que ela não o conhece. Trata-se de um suspense com toques de terror de uma crueza ímpar, perturbador para o público ocidental, capaz de fazer gelar o sangue das almas mais sensíveis. Com uma narrativa de filme noir, Creepy alcança a excelência dos filmes de Shion Sono, especialmente Cold Fish na representação da psicopatia. Uma pérola para os fãs do gênero. Nota 5/5.
 
Leia a ficha técnica aqui.
 
Quer mais Cinema em um Parágrafo? Confira:

 

Posts relacionados
  • 14 jul 2016
  • 0
Gênero: Ação Direção: Paul Feig Roteiro: Katie Dippold, Paul Feig Elenco: Andy Garcia, Annie Potts, Bill Murray, Cecily Strong, Chris Hemsworth, Dan Aykroyd, Elizabeth Perkins, Ernie Hudson, Kate McKinnon, Kristen...
  • 2 set 2017
  • 1
Agosto começou e filmes como Diário de um Banana 4 – comédia com piadas das mais batidas e uma franquia sem muito sucesso, Valeriam –...
  • 10 jan 2017
  • 0
Estados Unidos pelo Amor é um filme frio. Frio na fotografia. Frio na direção. Frio na abordagem dos temas. Ao mesmo tempo, é denso e...