NETFLIXING: THE SIEGE OF JADOTVILLE (2016) – CINEMA EM UM PARÁGRAFO
The Siege of Jadotville é mais um acerto da produção original Netflix. 

O primeiro longa original da Netflix foi Beasts of no Nation. O filme mostrou as consequências de uma guerra sob a ótica de uma criança. O gênero foi revisitado agora com The Siege of Jadotville. A marca aqui é pés no chão. A trama, que no fundo é um resgate de um pedaço esquecido da história (quantos de vocês conhecem o papel dos irlandeses na Guerra Fria?), é bem clichê e básica. Mas jogar na certeza possibilitou o estreante diretor Richie Smyth trabalhar muito bem. Tudo muito correto e sabendo aproveitar o melhor do material. Ainda assim o enredo pode ser visto em uma camada micro: o cerco sofrido pelo pequeno grupo dos irlandeses, ou macro: as tensões políticas quase que globais. Já a fotografia é o elemento que se destaca, tudo brilhante naquele quesito. A frase inicial do filme é: “Uma vez ouvi que na África o Sol é como uma fornalha, ou ele te derrete ou te molda”. E vemos isso representado aqui. Enfim, filmaço que vale como filme de guerra e documento histórico. Será que vai demorar muito para a Netflix chegar no Oscar?  Nota: 4/5





Leia a fica técnica aqui.

Quer mais cinema em um parágrafo? Confira:

Kóblic (2016)

Um Suburbano Sortudo (2016)

Amanda Knox (2016) e a Tênue Linha da Morte (1988)

Por Lucas Albuquerque

Posts relacionados
  • 9 ago 2016
  • 0
Gênero: Animação Direção: Gabriel Riva Palacio Alatriste Roteiro: Gabriel Riva Palacio Alatriste Elenco: Angélica Vale, Bruno Bichir, Carlos Espejel, Maite Perroni, Omar Chaparro, Sergio Sendel Produção: Ignacio Martínez Casares Fotografia: Aldo...
  • 20 out 2016
  • 0
“A emoção mais antiga e mais forte da humanidade é o medo, e o mais antigo e mais forte de todos os medos é o...
  • 21 maio 2017
  • 0
Em mais uma edição da Mesa Quadrada, Daniel Guilarducci, Maurício Costa, Aniello Greco e Lucas Albuquerque discutiram a obra de Ridley Scott e gastaram um...