A DESPEDIDA(2014) – CINEMA EM UM PARÁGRAFO
No mundo perfeito, A Despedida teria sido sucesso de público e crítica, seria considerado um clássico, e Nelson Xavier teria vencido o Oscar. Infelizmente, este filme doce, sensível e melancólico passou em branco pelas salas de cinema, após esperar mais de dois anos pela distribuição. O mercado é injusto, mas a vida também é injusta, não é mesmo? Tudo no filme funciona: a fotografia privilegia os enquadramentos fechados nos ambientes internos, para destacar como pequenas rotinas podem ser dolorosas na velhice, com planos gerais nos ambientes abertos, para destacar o contraste entre o velho e a juventude da cidade que não para; o uso do som na construção do personagem foi surpreendente; Nelson Xavier e Juliana Paes formam um casal que, apesar do contraste de idade e de viço, nos convence de seu amor e de seu respeito mútuo; o diretor e roteirista Marcelo Galvão mostra total controle da narrativa e conduz o público a uma jornada sobre vida e morte, amor e decadência, memória e realidade. Um filme imprescindível para quem ama o cinema, a vida e, em certa medida, a nostalgia e a melancolia. Nota 5/5.
Leia a ficha técnica aqui
Posts relacionados
  • 5 nov 2016
  • 0
Por um punhado de dólares é o filme que solidifica o sub-gênero “faroeste italiano”, e ao revisitar arquétipos literários clássicos cria vários clichês para o faroeste...
  • 1 nov 2017
  • 3
Outubro marca o décimo mês do ano. Isso não é nenhuma novidade. Mês de começar, para os atrasados mais adiantados, o projeto verão. Outubro é...
Obsessão
  • 3 jul 2019
  • 0
Piores filmes de Junho de 2019. Junho trouxe muitos lançamentos para os cinemas brasileiros e, como era de se esperar, muitas produções de baixo nível,...