Vingança (Revenge, 2017) – Crítica
Posters para "Revenge"

Vingança ganhou a reputação de ser uma obra extremamente violenta e perturbadora, logo após a estreia no Festival de Cannes 2017 e a exibição no Festival de Toronto 2017 – quando os paramédicos foram chamados para atender uma espectadora que desmaiou durante uma das cenas de violência. Quando tive a oportunidade de conferir Vingança nas sessões de meia noite do Festival de Sundance 2018, tinha boas expectativas, as quais, infelizmente, não foram correspondidas, em sua maior parte.

Como mais um representante do New French Extremity, Vingança é um filme realmente violento, com tamanha quantidade de sangue que falta apenas borrar a lente da câmera de vermelho. Não se trata de um defeito, é claro, uma vez que a premissa do filme se resume à vingança de uma mulher que sobrevive a um estupro e a uma tentativa de assassinato. Se você pensou em Doce Vingança (no clássico de 1978), teve a referência correta – a diretora Coralie Fargeat não esconde a influência dessa obra e, inclusive, escolheu o mesmo nome para a protagonista. Assim, já sabemos que Vingança não pretende reinventar o gênero.

Ainda que sem grandes pretensões narrativas, a execução de Vingança tropeça em um roteiro fraco. A despeito da simplicidade da premissa, há um grande número de conveniências narrativas e situações absurdas. É difícil acreditar na sobrevivência da protagonista da forma como ocorreu, pelos simples limites da física e da biologia. Em outra cena, após ter o ombro ferido gravemente, um personagem empunha um rifle apoiado sobre o ferimento, como se nada tivesse acontecido. Em outra cena, uma pessoa ferida no estômago levanta e caminha como se fosse um mero arranhão. Chega ao ponto em que temos uma referência visual e narrativa a Rambo IIIa qual não creio que seja incidental. Dessa forma, a verosimilhança “vai pro espaço”, e é necessário ter muito boa vontade para continuar engajado na jornada de Jeniffer. Por outro lado, se você desconsiderar as cenas absurdas e aceitar a inverosimilhança, Vingança torna-se uma narrativa tensa, que proporciona bom entretenimento para os fãs do gênero exploitation.

Matilda Lutz convence como a vítima que se transforma em bad ass, com uma fisicalidade impressionante. No vídeo de comentário sobre o filme no Festival de Sundance 2018, eu havia percebido certa semelhança entre ela e Alicia Vikander, ainda antes do lançamento de Tomb Raider, e a comparação entre os filmes e o desempenho das atrizes mostra porque Tomb Raider foi tão fraco e pouco convincente.

Confira o vídeo de comentário de Vingança  no Festival de Sundance 2018 (de 09:08  a  14:43):

Tecnicamente, Vingança tem uma fotografia luminosa, que sabe explorar o calor, a imensidão e a sensação de isolamento do deserto, por meio do contraste entre os enquadramentos fechados, no momento de intensificar a sensação de dor e desespero, e abertos, no momento de construir o senso de localização e transmitir a sensação de isolamento. Além disso, Vingança tem um excelente trabalho de maquiagem e de efeitos práticos. Jamais desconfiamos da verosimilhança do sangue, dos ferimentos e da violência que nos são apresentados.

O grande mérito de Vingança está no tema e na abordagem que escolheu apresentar, que coloca o dedo na ferida de todos os conceitos machistas da sociedade ocidental, principalmente na culpabilização da vítima. Coralie Fargeat construiu uma narrativa catártica, alegórica e eficiente, que pode incomodar aqueles que, ao questionarem as escolhas iniciais de Jennifer, se mostram seja a causa seja parte do problema que Vingança expõe por meio do Gore.

Assim, temos uma obra que pode funcionar e divertir, se você desconsiderar os absurdos e exageros visuais. e incomodar, se você tiver coração frágil ou se não tiver empatia pelas mulheres.

 

Not rated yet!

Revenge

20181 h 48 min
Overview

Três homens casados e ricos fazem, anualmente, uma espécie de caçada no deserto. Desta vez, um dos empresários decide trazer sua amante (Matilda Lutz). Quando ela é abandonada para morrer devido a uma série de acontecimentos, eles terão que lidar consequências de uma mulher que busca vingança.

Metadata
Director Coralie Fargeat
Writer
Author
Runtime 1 h 48 min
Country  France
Release Date 7 fevereiro 2018

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 1    Média: 2/5]