Uma Dobra no Tempo ( A Wrinkle in Time, 2018) – Crítica
Posters para ""

Uma Dobra no Tempo tinha tudo para dar certo: produzido pela Disney, orçamento de US$ 100 milhões, Ava Duvarney na direção – indicada ao Oscar por Selma e pelo documentário A 13ª  Emenda, um bom livro de Madeleine L’Engle como base para o roteiro adaptado, elenco estelar – com Chris Pine (Star Treck), Reese Whiterspoon (Big Little Lies) e Oprah Winfrey –  e equipe técnica de ponta. Infelizmente, a soma desses bons elementos resultou em um filme medíocre, lento, desconexo e desinteressante. Parece algo tão difícil de acontecer que chego a cogitar que tenha sido de propósito (calma, estou sendo sarcástico).

O principal problema de Uma Dobra no Tempo está no roteiro. Os diálogos são artificiais e forçados e a relação entre os personagens é mal desenvolvida. Se toda a jornada de Meg se baseia no resgate do pai, seria necessário desenvolver a relação entre pai e filha para além de uma cena para que o público se importasse com a ausência do personagem. Ao longo da narrativa, há personagens quase sem função, como Calvin, amigo de Meg, que, a princípio, deveria cumprir a função de fazê-la aceitar-se como ela é, mas que, na prática, é inútil, Victoria, a inimiga da escola, e o personagem de Zach Galifianakis, que.. serve pra quê mesmo?! Charles Wallace – nome repetido exaustivamente – não passa de uma muleta narrativa para alavancar a preocupação de Meg, enquanto os demais personagens- incluindo as criaturas mágicas cumprem suas funções narrativas sem maiores problemas e/ou méritos.

De um roteiro fraco, resultaram atuações que oscilam entre as genéricas e as estapafúrdias. Storme Reid tem zero carisma como protagonista, Chris Pine está no piloto automático, Oprah parece ela mesma, mas com podres mágicos, Reese Whiterspoon está exagerada, Mindy Kaling acrescenta pouco e, principalmente, o jovem Deric McCabe – o irritante Charles Wallace – parece estar lendo o texto enquanto interpreta, tamanha a artificialidade da atuação, o que prejudica, imensamente, a melhor sequência do filmem que depende desse personagem. O fato de McCabe ser um ator infantil não justificar tamanha falta de talento, e Jacob Trombley e Brooklyn Price estão aí para provar essa afirmação. Os demais membros do elenco pouco têm a fazer, por isso pouco têm a mostrar.

Felizmente, nem tudo são falhas em Uma Dobra no Tempo. Visualmente, a produção é inspirada. A combinação de fotografia, efeitos visuais, direção de arte, figurino, cabelo e maquiagem – ainda que com certo exagero na personagem de Resse Whiterspoon – cria um universo único e interessante, com algumas sequências espetaculares. Por outro lado, esses cenários não se ligam ao conjunto da narrativa, e acabam impressionando mais como trechos isolados do que como parte de uma história.

Ao tentar tratar, de forma simples, conceitos complexos de física – como dobra no tempo e frequências -, este filme acaba apelando para a pieguice total de tratar o amor como força da natureza (e a comparação com Interestelar, nesse ponto, não seria estapafúrdia), sem qualquer profundidade que o justifique. Sim, trata-se de um filme dirigido ao público infantil, mas isso não significa que esse público deve ser subestimado: Divertidamente Viva: A Vida É Uma Festa estão aí para comprovar.

 

Not rated yet!

Uma Dobra no Tempo

20181 h 39 min
Overview

Meg Murry é a típica estudante do ensino básico com problemas de autoestima, que deseja integrar-se no mundo que a rodeia. Meg é filha de dois físicos de renome mundial, é muito inteligente, e tem um talento extraordinário tal como o irmão mais novo, Charles Wallace. Mas Meg ainda não está consciente do poder do seu dom. A situação complica-se com o misterioso desaparecimento de Sr. Murry, que atormenta Meg e deixa a sua mãe inconsolável. Charles Wallace apresenta Meg e o seu colega de turma Calvin às três guias celestiais - Sra. Which, Sra. Whatsit e Sra. Who -, que viajaram até à Terra para a ajudar a encontrar o seu pai. Juntos partem numa busca formidável. Viajam através do tempo e espaço, sendo rapidamente transportados para mundos que vão além da sua imaginação e onde vão enfrentar uma poderosa força do mal. Para voltar a casa na Terra, Meg deve enfrentar os seus receios e conseguir a força necessária para derrotar a escuridão que está a envolver rapidamente o Universo.

Metadata
Director Ava DuVernay
Writer Jennifer Lee, Jeff Stockwell
Author
Runtime 1 h 39 min
Release Date 8 março 2018

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 0    Média: 0/5]