Tá Rindo de Quê? (2019) – Crítica
Posters para ""

O trio de diretores Cláudio Manoel, Álvaro Campos e Alê Braga em Tá Rindo de Quê? se debruça no estudo de mais de duas décadas da relação do humor com a ditadura. Resgatando figuras importantes da comédia entre os idos de 1964-1985, o documentário, a partir de um tema central (o golpe militar) expande para outros focos, tais como o fazer humorístico propriamente dito, a representação da mulher, a relação com o público e com os meios de comunicação. Tá Rindo de Quê? é a primeira parte do trabalho do time, uma continuação está prevista, o “Rindo à toa – Humor sem limites”, analisa o período de 1988 até os anos 2000.

A lista de entrevistados contempla nomes pra lá de importantes da nossa cultura humorística (vale conferir no final deste texto a relação completa). Destaque para Ary Toledo, Boni, Carlos Alberto de Nobrega, Chico Caruso, Daniel Filho, Jaguar, Regina Case, etc. Além de relatos curiosíssimos é possível ter pitadas da verve do humor nas mais diversas falas. Seja a clássica imitação da Fafy Siqueira do Golias, seja uma piada do Ary Toledo ou ironia do Roberto Guilherme. Mas mesmo sendo figuras muito conhecidas, valia ter uma identificação melhor para além do nome. Seria um didatismo bem-vindo e não poluiria tanto a tela.

Apesar de boa parte do tempo os assuntos extraídos estarem condizentes. Sinto que a primeira parte é muito incisiva na abordagem da questão militar e depois o tema se abranda. O problema, claro, não está entre optar por um estilo x ou y, mas do tom parecer quebrado. É possível que quem se empolgue com o trecho, fique sonolento com o restante e quem potencialmente aprecie o resto sofra algum bloqueio nessa parte. Não entendi essa opção dos diretores.

No entanto, essa pequenas incorreções, ficam pequenas diante do material exposto. Tirinhas animadas, imagens de arquivos das mais variadas fontes, além do carro chefe: os depoimentos. O humor é tão importante na nossa formação que não é absurdo pensar que podemos ter um retrato do brasileiro a partir do entendimento da área. Por exemplo, a construção da popularidade da televisão tem uma relação intrínseca com a comédia – algo que poderia também ser dado com as novelas, futebol, música…

As implicações da censura durante o período tratado conferem um ar histórico importante. Mesmo sem grandes novidades, as falas dos humoristas que sofreram com as restrições mostram os bastidores da confecção da piada, até as famosas prisões e a anistia posterior. E esse ponto resume quase que o filme como um todo. Um retrato histórico digno e que servirá para consultas futuras. Um bom compilado, mas nada muito além.

Vale conferir as cenas durantes os créditos e a pós-crédito, uma pitadinha do filme vindouro.

Entrevistados:

Agildo Ribeiro

Alcione Mazzeo

Ary Toledo

Bem Vindo Sequeira

Boni

Bruno Mazzeo

Carlos Alberto de Nobrega

Carmem Veronica

Chico Caruso

Daniel Filho

Evandro Mesquita

Fafy Siqueira

Hamilton Vaz Pereira

Jaguar

Juca Chaves

Kate Lyra

Lucio Mauro Filho

Patrycia Travassos

Paulo Cesar Pereio

Regina Case

Roberto Guilherme

Silvio de Abreu

Not rated yet!

Tá Rindo de Quê? Humor e Ditadura

Overview

Mesmo diante de toda a brutalidade e truculência da ditadura militar no Brasil, muitos artistas apresentavam-se como resistência utilizando do talento e da criatividade para driblar as imposições da censura na época. Mesmo fornecendo para a população uma espécie de válvula de escape, diversos humoristas foram ameaçados e perseguidos em detrimento de piadas e quadros televisivos.

Metadata
Director Cláudio Manoel, Alvaro Campos, Alê Braga
Writer
Author
Runtime
Country  Brazil
Release Date 9 novembro 2018
Actors
Starring: —

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 0    Média: 0/5]