O Insulto (L’insulte, 2017) – Indicado ao Oscar – Crítica
O Insulto

O Insulto é um raro caso de um filme que, apesar de ter um foco claro, quer ser muita coisa e consegue se realizar de modo efetivo. É plenamente justificável a indicação ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, o longa está pelo menos no mesmo nível dos concorrentes.

Veja a todas as nossas críticas dos filmes indicados ao Oscar 2018. 

A partir de uma situação micro, uma calha quebrada, acompanhamos um estudo de dois personagens que refletem a situação política e religiosa do Líbano. A discussão que justifica o título ocorre entre o libanês cristão Toni (Adel Karam) o palestino refugiado Yasser (Kamel El Basha).

O Insulto

Apenas um pedido de desculpas é solicitado, mas “apenas” não é uma palavra que cabe naquele contexto, já que temos toda uma bagagem cultural e a ofensa foi além de um xingamento cotidiano. Seguimos então para um típico filme de tribunal.

E aí está parte do brilho de O Insulto: ele te joga pra vários lados e faz ver o ponto de vista dos personagens, humanizando-os. Uma das coisas que mais lamento é quando uma história me mostra personagens sem camadas, unidimensionais, afinal somos complexos e não preto no branco. E é exatamente o que temos aqui.

Você (e o filme) pode concordar que ofensas, preconceitos, violência física não são coisas positivas (espero que concorde), mas Ziad Doueiri – que dirige e coescreve o roteiro – evidencia uma área mais cinzenta. Não importa quem começou a briga ou quem está mais errado, o que importa é todo o cenário.

Para tornar a coisa ainda mais completa temos diversos outros personagens com algum aprofundamento e que compõem o cenário: seja a esposa de Toni, o chefe de Yasser, a dupla de advogados, os políticos ou mesmo o próprio país.

Entender a situação conflituosa da região é de bom tom para ter uma experiência mais completa aqui. Ainda assim, basta ter um mínimo de noção da vida (sim, o que você vê no Jornal Nacional já é suficiente), pois a obra traz, dentro de um limite ótimo de exposição, aquela situação. Há alguns flashbacks, que além de estarem plenamente justificáveis no roteiro, ajudam nesse ponto.

O Insulto

A trilha sonora me causou um sentimento dúbio. Ela se faz 100% presente e em um tom quase melodramático. Porém ela só aparece nas cenas que um personagem está só e passando por uma reflexão ou emoção forte, mas vem em todas as cenas que isso acontece (daí o 100% presente). Não consegui marcar se este sentimento foi vendido de forma sincera ou se era apenas uma manipulação barata. Na dúvida, ponto para o filme.

O ritmo tem uma tensão crescente. Somos colocados naquele redemoinho de acontecimentos e ficamos fascinados por aquele julgamento. As quebras, como nas cenas descritas anteriormente, são bem-vindas até para valorizar ainda mais as discussões jurídicas e não deixar esse aspecto saturar.

Para não ser só elogios, aponto negativamente a direção e atuações em cenas de briga físicas quando envolvem vários personagens. A coisa soa um tanto falsa com movimentos que me tiraram da imersão. Dá um tom de humor involuntário que não cabe aqui e arrisco que nem era o objetivo.

O Insulto

Voltando à nota positiva, o filme é recheado de pequenos momento sublimes. A cena mais emblemática possivelmente é a dos carros no estacionamento. Com veículos em direções opostas e um deles dando defeito. Não vou descrever mais, mas ali temos a síntese de um dos motes de O Insulto.

O sueco The Square – A Arte da Discórdia ainda é o favorito ao Oscar, mas não seria surpresa e tampouco injusto se o filme libanês levasse. Este ano inclusive a lista está ótima com o chileno Uma Mulher Fantástica, o húngaro Corpo e Alma e o russo Sem Amor.

Not rated yet!

L'Insulte

Overview

Beirute. Toni (Adel Karam) é um cristão libanês que sempre rega as plantas de sua varanda e um dia, acidentalmente, acaba molhando Yasser (Kamel El Basha), um refugiado palestino. Assim começa um intenso desacordo que evolui para julgamento com ampla cobertura midiática e toma dimensão nacional.

Metadata
Director Ziad Doueiri
Writer Ziad Doueiri, Joelle Touma
Author
Runtime
Country  United States of America Lebanon Belgium Cyprus France
Release Date 14 setembro 2017

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 0    Média: 0/5]