Medo Profundo (47 Meters Down, 2017) – Crítica
Medo Profundo

Medo profundo é muito claro no que deseja: ser um típico filme que promove a tensão ao colocar os personagens em situações extremas, no caso, estarem cercados por tubarões e, portanto, temendo pela vida. A priori, a premissa genérica poderia render um bom filme, mas infelizmente não é o que ocorre.

Confira a lisa dos melhores filmes de fevereiro

Confira lista dos piores filmes de fevereiro

Normalmente eu reclamaria de falta de camadas dos personagens. Aqui o mal é maior: há uma tentativa de dar um backgroud com a história do relacionamento de uma das protagonistas. O problema é que tal elemento é usado de forma rasa (trocadilho alert). Ele até é o motivador para determinada ação, mas a coisa se desenvolve de maneira frágil e, no frigir dos ovos, dispensável.

Medo Profundo

A rima inicial com a questão do sangue é óbvia e caberia melhor se o filme não se levasse a sério. Esta, contudo, é a única ideia passível de nota no prólogo. Que se segue é burocrático e arrisco que perde até tempo demais, apesar de não demorar muito – a aparente contradição se dá pois todo aquele arco poderia ser tirado. No todo, porém, o filme acerta na duração, mas a troco de uma montagem que retira algumas transições.

Alguns outros pontos negativos chamam atenção. Não vou nem reclamar da burrice dos personagens, não por ser uma convenção do gênero (já que isso dá para reverter, vide Rua Cloverfield 10 ou Anabelle 2), mas porque seria perfeitamente normal que as pessoas agissem daquela forma. O que me incomoda são as facilitações que Medo Profundo usa para lidar com elas.

Extremamente expositivo, praticamente o longa narra de modo prévio todas as ações. O que lima possíveis reviravoltas e vínculos emocionais, além de duvidar da inteligência do público. Fica a dúvida também como a dupla principal se comunica tão bem debaixo d’água ou então como as coisas caem,  longe ou perto, onde o roteiro precisa.

Medo Profundo

Outra estrela nesse tipo de filme é, claro, o tubarão. Aqui é um misto de preguiça com as falhas anteriores. O nome do bicho deveria ser tuburão. Incrível como ele erra os alvos (salvo de quem não importa, aí a mira fica perfeita). Ele não é visualmente ameaçador ou mesmo relevante, quase que dava para tirar do filme, ops, Medo Profundo já o fez… E não, não estamos diante de um caso de uma ausência que causa um temor à la Tubarão do Spielberg, aqui é só falta de capacidade/recurso ou no mínimo uma opção ruim.

Enfim, Medo Profundo não é o suprassumo do desastre. É bem melhor que Águas Rasas, já que aqui não temos closes ginecológicos nas atrizes ou clipes que funcionariam em um canal de surfe, ainda assim o longa dirigido por Johannes Roberts é bem fraco.

Not rated yet!

47 Meters Down

20171 h 29 min
Overview

Duas irmãs de férias no México são presas numa gaiola de observação de tubarões no fundo do oceano,com o oxigénio a acabar e tubarões brancos por perto, elas têm menos de 1 hora de oxigénio para descobrirem como sair dali.

Metadata
Director Johannes Roberts
Writer Johannes Roberts, Ernest Riera
Author
Runtime 1 h 29 min
Release Date 25 maio 2017

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 2    Média: 3/5]