Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo (2018) – Crítica
Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo

Mamma Mia, lançado em 2008, fez um estrondoso sucesso. O musical baseado nas canções do ABBA atingiu mais de meio milhão em bilheteria. Não seria estranho pensar em continuação, mas não tentaram nos empurrar um Mamma Mia 2…3..4 em pouco espaço de tempo. Para esta sequência Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo dez anos se passaram e tal fato é muito bem explorado na trama.

O foco agora é a reinauguração do hotel fundado por Donna (Meryl Streep) e agora administrado pela filha Sophie (Amanda Seyfried). Além de flashbacks da juventude de Donna – em especial a parte que ela conhece “os três pais” da filha. O tom de nostalgia e reencontro (para os personagens e para o público) encaixa perfeitamente na vibe proposta, claro tudo regado a muita música…

Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo

Tal movimento de idas ao passado exige bastante da montagem – que já era onerada pelos números musicais. O vai e vem poderia tornar a história confusa ou cansativa e ocorre justamente o contrário. Apostando no simples e nos sentimentos pelos personagens, o filme nos conduz para descobrir um pouco mais da formação daquelas figuras. Mesmo sabendo o destino, não será difícil o público vibrar com cada vitória e lacrimejar em cada derrota.

Novamente o carisma dos atores e personagens falam mais alto que o roteiro, o porém é que falam tão alto que torna a experiência deliciosa para os amantes e amantes do gênero. Há equilíbrio nas aparições e nos dramas, com o adendo que alguns personagens estão dobrados, já que tem a versão atual e a contraparte de décadas atrás.

O longa como um todo ganha em relação ao anterior na amplitude dos cenários – é aquela história da sequência ser mais robusta, que é saturada em filmes de heróis, mas que aqui é usado de forma límpida. Por não estarmos restritos só à paradisíaca ilha, há possibilidades que o diretor e roteirista Ol Parker não se furta de usar.

Na parte musical, por exemplo, a mescla de momentos intimistas com super danças envolvendo dezenas de atores/dançarinos é também permitida graças a essa questão. O elo narrativo é feito através desses momentos que estão lá não só como marca do gênero, mas como engrenagens fundamentais para a evolução da trama – seria o que foi Mad Max A Estrada da Fúria em relação à ação.

Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo

A grande mudança neste segundo filme é o já mencionado acréscimo dos personagens “olds” na versão “teen”.  E quase todos eles mantém o nível de simpatia. Com total brilho, quem rouba a cena é  Lily James, na versão jovem da matriarca do pedaço. A presença dela é hipnotizante da primeira à última cena. O jeito como vai seguindo o caminho, mesmo sem saber ao certo onde ia chegar (em um belo exemplo de ironia dramática, já que nós sabemos bem…), e principalmente a interação dela com os demais personagens é fundamental para o bom resultado aqui.

O trio composto por ela, Alexa Davies e Jessica Keenan Wynn consegue o improvável: se equiparar ao carisma do trio de veteranas Julie Walters, Christine Baranski e Meryl Streep. Obviamente que estas são muito mais atrizes que aquelas, contudo, para fins desta proposta o time mais jovem cumpriu tudo que precisava, mesmo com pouco tempo em tela de Davies e Wynn.

Se o Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo  no todo deixa um gosto pra lá de doce – com certeza o mais feel good do ano até aqui – o final é para deixar o coração completamente aquecido. As cenas derradeiras tem um potencial emocional muito forte e o momento durante os créditos encerra com uma cereja no bolo a homenagem.

Not rated yet!

Mamma Mia! Here We Go Again

20182 h 00 min
Overview

Sophie (Amanda Seyfried) está prestes a reinaugurar o hotel da mãe, agora totalmente reformado. Para tanto convida seus três "pais", Harry (Colin Firth), Sam (Pierce Brosnan) e Bill (Stellan Skarsgard) e as eternas amigas da mãe, Rosie (Julie Walters) e Tanya (Christine Baranski), ao mesmo tempo em que precisa lidar com a distância do marido Sky (Dominic Cooper), que está fazendo um curso de hotelaria em Nova York. O reencontro serve para desenterrar memórias sobre a juventude de Donna (Lily James), no final dos anos 70, quando ela resolve se estabelecer na Grécia.

Metadata
Director Ol Parker
Writer Ol Parker, Richard Curtis, Catherine Johnson
Author
Runtime 2 h 00 min
Release Date 18 julho 2018

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 3    Média: 4/5]