Fala Sério, Mãe! (2017) – Comédia com Larissa Manoela e Ingrid Guimarães – Crítica
Fala Sério, Mãe!

Fala Sério, Mãe! tem alguns méritos bem marcados. Primeiro ele sabe dialogar com o público alvo. Como o título e o poster sugerem, mães e filhas terão uma identificação forte com o tema, já que o filme trata das diferentes fases deste tipo de relacionamento. Se a trama te interessa ou não aí é outra história… mas temos aqui inegavelmente o típico filme que entrega aquilo que se propõe.

Outro mérito, aí já fora do quesito temático e portanto mais importante, cai na conta do foco narrativo. No começo acompanhamos os dilemas e causos de Ângela Cristina (Ingrid Guimarães) desde a gestação, infância e início da adolescência da filha Maria de Lourdes (Larissa Manoela). Neste ponto tudo é narrado pela personagem da mãe.

Fala Sério, Mãe!

E aí vem uma das boas sacadas de Fala Sério, Mãe!. Quando a filha atinge uma “maturidade” tem uma passada de bastão na narração, marcada por um diálogo bem bonito e uma cena típica que retrata um ritual de passagem. A partir de então vemos o ponto de vista da garota sobre o final da própria adolescência e como ela enxerga as decisões da mãe. É possível identificar algumas rimas, como a cena do chuveiro, que tornam o texto mais rico.

Obviamente sem dar spoiler, o final se presta a alguns rito comuns, porém engatinha alguns movimentos além da total obviedade. Há uma conversa que antecede a cena derradeira que é muito curiosa sobre a relação filha-pai/mãe. E o jeito como a questão sexual é posta no filme também agrada – aliás só dela estar presente já é positivo.

Porém não temos só pontos elogiosos. E tal como o filme (que perde viço na segunda parte, vou apontar os problemas agora).

Todo o arco dos personagens é completamente previsível, formulaico e cai no mais básico deste tipo de filme. O humor e o drama podem fazer rir/chorar, mas tudo é facilmente antecipável. O texto fica em um fronteira muito perigosa entre o simples e o simplório. Vamos a exemplos: tem uma cena que Ângela e o marido (Marcelo Laham) interagem com diversas crianças em um parque. Os diálogos ali soam pouco naturais, muito marcados e a direção dos pequenos ficou muito solta e muito dura ao mesmo tempo – o fato de serem crianças não é desculpa.

Alguns “fanservices” também incomodam. A aparição do humorista Paulo Gustavo (e a referência ao filme Minha Mãe é uma Peça) serve para reforçar um laço entre mãe e filha, mas a cena parece que foi escrita só para ter o ator e parece desconexa com o resto, além de se alongar mais do que deveria.
Exatamente o mesmo cabe na aparição do cantor Fábio Jr.

A atriz mirim Larissa Manoela roda o país com show musicais, então em todo filme ela dá um jeito de cantar (foi assim no Carrossel, Meus 15 Anos e neste agora) para possivelmente aproveitar esse filão. A priori, para o filme, problema algum. Mas a cena aqui foi dublada de forma muito artificial e até amadora tirando toda a imersão.

Fala Sério, Mãe!

Aliás, Fala Sério, Mãe! tem um uso muito constante de músicas várias. As canções entram para encerrar cenas ou como transição. Os ritmos e letras combinam com os momentos, mas fico tudo muito quadradinho, além de soar como um preenchimento de um vazio narrativo e de montagem e não um embalo orgânico – para um bom uso da trilha veja o longa Corpo e Alma, lançado também este mês.

Se a mudança no foco narrativo foi uma herança gostosa do livro, a presença de alguns personagens nem tanto. Em especial os irmãos. Com menos aprofundamento ainda que a dupla principal, eles acabam servindo de adorno ou para uma piadoca aqui e acolá. Por vezes o filme até esquece dessas figuras sem vida.

Enfim, Fala Sério Mãe! (e maldito quem inventou que falar o título diversas vezes ao longo do filme é algo engraçadão) não é horroroso e está muito acima de diversas comédias nacionais como Os Parças, Amor. com e Duas de Mim. Por mais que para alguns possa sobrar afeto na condução da relação mãe-filha, o fato é que falta consistência cinematográfica.

Ps:  A cena absurda durante os créditos tira completamente a lógica do filme. Poderia ser trabalhada de outras maneiras para colocar em tela aqueles personagens. Se você considerar que o filme já tinha acabado e que aquilo é só simpático, então sem problemas…

Not rated yet!

Fala Sério, Mãe!

Overview

Ângela Cristina (Ingrid Guimarães), mãe da adolescente Maria de Lourdes (Larissa Manoela), está tendo a experiência de guiar sua filha durante uma das fases mais complicadas da vida. Ela vive uma montanha-russa de emoções, com medos, frustrações e um caminhão de queixas para descarregar. Por outro lado, Malu, como prefere ser chamada, também tem suas insatisfações. Teimosa, sofre com os cuidados excessivos e com o jeito conservador da mãe.

Metadata
Writer
Author
Runtime
Country
Release Date 28 dezembro 2017

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 0    Média: 0/5]