Encolhi a Professora (Hilfe, ich hab meine Lehrerin geschrumpft, 2015) – Crítica
Encolhi a Professora

Encolhi a Professora tem muito cara de filme da Sessão da Tarde (Querida, Eu Encolhi as Crianças, não é uma lembrança à toa). Aqui a aventura é voltada exclusivamente para o público infanto juvenil. Janeiro, por conta das férias lança todo tipo de filme com essa pegada, Touro Ferdinando, Gaby Estrella, Peixonauta e até o mais “adulto” Viva  são exemplos.

Com personagens bem estereotipados, tem o valentão, a professora má, o pai atrapalhado, etc, o longa se torna óbvio para os adultos e talvez até para os pequenos, caso eles tenham um mínimo de bagagem em histórias. A trama também não se arrisca. As reviravoltas são rasas e o plot principal bem genérico.

Encolhi a Professora

Um pouco da magia do filme está justamente na magia. O colégio, que mais parece um castelo mal assombrado, “esconde” um mistério, um ser usa de poderes sobrenaturais para fazer portas fecharem, desejos serem realizados e o título em português se justificar. Os efeitos são bem simples, mas não incomodam. Algumas cenas são razoavelmente bem criativas na relação da professora diminuta com o ambiente. Nada mega genial, mas bem aceitável.

O que pega mesmo são os vários personagens que mesmo considerando o foco do público alvo, tem um desempenho abaixo do que a trama poderia entregar. E chega uma hora que o texto envereda por uma briga de classes um tanto quanto maçante. Falta sutileza e sobra exposição. A desculpa de ser um longa infantil não cola. Em outros filmes citados no começo desta crítica temos exemplos de como é possível fugir deste padrão.

Encolhi a Professora

A premissa é bem fraca também. A desculpa para o eminente fechamento da escola é mal posta e pior ainda desenvolvida (a coisa depender da quantidade de aluno e ser resolvida da forma que foi é um quase insulto à inteligência das crianças). A mudança de pensamento dos personagens soa como justificativas frágeis, em um roteiro muito preguiçoso. Por exemplo, toda a relação pai e filho não tem consequências e serve apenas para uma piada – que se repete. Os outros professores do colégio não tem função e apenas um núcleo muito pequeno dos alunos tem alguma relevância.

Infelizmente a atuação não será possível de analisar, pois Encolhi a Professora só chegou em cópias dubladas, além de o foco ser infantil (o que não é desculpa, crianças pode ler legenda ou saber inglês), o filme é alemão – vide o título original – o que é uma desculpa pior ainda. Os recentes A Noiva e Os Guardiões, só por serem russos, ou seja não americanos, passaram pelo mesmo mal aqui no Brasil.

Not rated yet!

Hilfe, ich hab meine Lehrerin geschrumpft

Overview

O jovem Felix Vorndran (Oskar Keymer) estuda em uma escola cuja diretora, Frau Dr. Schmitt-Gössenwein (Anja Kling), é uma verdadeira peste. Certo dia, Felix, determinado a se vingar desta professora, arma um esquema maluco que tem consequências complicadas: a diretora acaba encolhendo, se tornando uma miniatura de si mesma.

Metadata
Writer Silja Clemens, Florian Schumacher
Author
Runtime
Country  Germany
Release Date 17 dezembro 2015

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 0    Média: 0/5]