Dragon Ball Super: Broly (2018) – Crítica
Posters para "Dragon Ball Super: Broly"

Dragon Ball Super: Broly é o mais novo filme deste universo tão querido. E vale o comentário inicial: para os fãs, o longa pode funcionar (eu mesmo sou fã e uma parte de mim se empolgou com algumas cenas e teorias confirmadas). Então se o teu objetivo é só ver um episódio longo na sala de cinema, você pode ser feliz nesta 1h40.

Mas pedimos licença aos fãs, crítica de cinema não é guia de consumo. Comentar quem aparece, como e as repercussões para o cânone da saga é válido, mas não é nosso objetivo aqui. E um filme é muito mais do que só agradar a base já estabelecida. É importante que a narrativa tenha um fio condutor consistente. A velha máxima do começo, meio e fim. E que as ações e diálogos fluam dentro da linguagem cinematográfica. Infelizmente (e falo isso com muita dor no coração) Dragon Ball Super: Broly é um desastre completo. E já vi outros filmes com o selo Dragon Ball/z/super e nunca sai tão triste….

Dragon Ball Super: Broly

A história começa de certo modo até promissora, mas já com algumas falhas. Por exemplo, logo de cara temos a relação Freeza e Saiyajins estabelecida. Tal movimento vai ser o mote da trama, mas é tudo falado e não mostrado (regra de ouro do cinema). Todas as ações são verbalizadas e reiteradas por outros personagens (e o problema vai além daqueles diálogos típicos de Dragon Ball “eu vou destruir o planeta” seguido do ouvinte confirmando o que acabou de escutar: “destruir o planeta?”, algo que convenhamos é um saco, mas que faz parte da galhofa). É incontável o número de vezes que é mencionado que o Broly é super poderoso.

Broly que é enviado para um planeta inóspito (e a palavra rende uma boa piada mais pra frente) pois ele pode representar uma ameça à hegemonia do príncipe Vegeta. Não tarda para vermos o Vegeta em outro planeta já mostrando um pouco da personalidade que o tornaria famoso. E o Kakaroto sendo mandado para a Terra (onde ficaria conhecido como Goku). A partir destes elementos, na primeira meia hora, é dada a base para uma história de vingança. Imaginei que teríamos um filme “normal”.

Dragon Ball Super: Broly

Contudo, há um salto temporal para os dias atuais. E aí reside a primeira grande falha do longa. Os fãs sabem o que aconteceu naquele ínterim (tudo que vimos até agora nas séries). Mas no cinema para um público aberto, essa transição não faz sentido algum.

Vou trazer para cá o meu comentário sobre o filme Homem-Aranha no Aranhaverso – personagem extremamente popular, inclusive no cinema e que portanto já tem a história conhecida por um público potencialmente maior que a de DB:

“Vide a excelente fala de Peter Parker aqui no filme: “Oi, eu sou o Peter Parker e o resto vocês já sabem…”, seguido de uma descrição ágil dos feitos que serve tanto para apresentar para aqueles que por ventura não conheçam o personagem (em uma aula de exposição bem feita) e serve como alívio cômico para aqueles que já passaram por aquelas histórias muitas vezes.”

Em Dragon Ball Super: Broly a transição é feita com colagens super rápidas que praticamente piscam na tela. De repente Vegeta está na Terra lutando ao lado de Goku… quem caiu neste filme de paraquedas ficou sem entender. E não, não é “problema de quem não viu o anime”. O filme TEM que funcionar como um produto isolado.

A partir daí começa o fundo do poço… temos uma sequência de alívios cômicos e a terrível UMA HORA de luta. Praticamente não há mais nada no filme. Só os personagens se batendo. Para piorar, a ação é repetitiva e sem lógica – até para os padrões das sagas. Há uma série de conveniências, ações duvidosas e zero zelo narrativo/visual. Visual que tem alguns momentos que a qualidade destoa, positivamente diga-se, porém o traço mudar do nada é injustificável. Sim, até quando filme “acerta”, ele erra.

O roteiro até tenta, com o Freeza, mostrar alguma camada e o personagem protagonizando os melhores momentos, mas é muito pouco para salvar o filme. Por um momento até cogitei dar uma nota melhor só por conta dele, mas não dá. Todo o resto é vazio e ofensivo.

Dragon Ball Super: Broly pode entregar o que parte dos fãs queria, mas é um desserviço ao cinema.

Not rated yet!

Dragon Ball Super: Broly

20181 h 40 min
Overview

Apesar da Terra estar em um período de calmaria, Goku se recusa a parar de treinar constantemente - ele quer estar pronto para quando uma nova ameaça surgir. O que ele não imaginava era que seu novo inimigo seria Broly, um poderoso super saiyajin sedento por vingança, que deseja destruir todos que encontrar pela frente.

Metadata
Director Tatsuya Nagamine
Writer
Author
Runtime 1 h 40 min
Country  Japan
Release Date 14 dezembro 2018

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 8    Média: 3.8/5]