Boneco de Neve (The Snowman, 2017)
  • 22
  • 11
Boneco de Neve

Boneco de Neve é um suspense. Noruega. (…). Tem um assassino em série. Problemas com mulheres. Frio neve muita. Michael Fassbender é um Boneco, mas não é feito de neve. Gelo é água dura, mas nem tanto.

Achou essa introdução picotada, confusa, cheia de lacunas e com informações bobas, desnecessárias, mas por causa de um ou outro elemento ficou instigado? Pois é exatamente isso que entrega Boneco de Neve. Temos uma narrativa com algum potencial, mas que esquece que é um filme. Por mais que haja valor de produção, vemos um estranho amadorismo e/ou descompromisso.

Baseado no livro de Jo Nesbø (que mesmo sem ler cogito ter mais mérito que o filme), Boneco de Neve abre com um bom prólogo. Temos uma tensão ao redor de uma mesa e uma sequência de perturbadoras cenas. Depois disso, a coisa simplesmente derrete (como eu queria usar esse trocadilho).

Boneco de Neve

Personagens que entram e saem do filme sem muito sentido ou com presenças redundantes, uma montagem que foi feita por alguém bêbado ou com amnésia (possivelmente ambos) e uma trilha forçada o tempo todo para dar aquele ar de suspense… se fosse há uns 30 anos talvez seria uma boa, hoje fica datada.

O mais estranho é que o diretor Tomas Alfredson não é novato. Ele tem trabalhos como O Espião que Sabia Demais e Deixa Ela Entrar. Aqui parece que ele fez por fazer ou bateu com a cabeça e desaprendeu. As coisas sobram ou faltam, nem nisso há coerência. Paisagens com neve são prato cheio para belas paisagens. Aqui Alfredson passa boa parte do filme com uma câmera preguiçosa, salvo um resquício de inspiração ou outro, rendendo uma fotografia esquecível.

Sem fazer uma analogia genial com o ambiente, Boneco de Neve é frio. Você não se apega aos personagens, simplesmente não liga para quem morre ou quem mata. Os caracteres apresentados são jogados, não há contexto. Sem dúvida que nem todos precisam ser multidimensionais ou terem um arco grandioso, mas é o que se espera pelo menos do protagonista.

O elenco é bem recheado, mas nada aproveitado. Além do Fassbender (Assassin’s Creed), cuja atuação pode ser resumida em uma passagem do trailer (a que ele é questionado sobre digitais, a resposta é uma metonímia para o que foi esse trabalho). O ótimo J.K. Simmons (Whiplash) com um tempo de tela maior que deveria. Rebecca Ferguson (Vida) tá lá. E Val Kilmer (Batman Eternamente) teve algum problema com as plásticas, ou como definiu o crítico Murilo Maximiano “ele parece ser feito de CGI”.

Há uma máxima que o filme pode até capengar, mas com um final recompensador a coisa até vale. Aqui ocorre o oposto: Boneco de Neve diz que pode ser muito, mas o final é risível. A penúltima cena é constrangedora e tem tantos erros que nem vale comentar (também não vale por ser a penúltima cena) e a última gera risos involuntários…

Boneco de Neve simplesmente poderia ser aquilo que ele nem sequer tentou ser. Mas me lembrou a música “A Casa”, de Vinícius de Moraes:
“Era uma casa
Muito engraçada
Não tinha teto
Não tinha nada
Ninguém podia
Entrar nela, não
Porque na casa
Não tinha chão”

Só que diferente da casa da canção, o filme não foi feito com muito esmero e bobo somos nós, público, que recebemos algo inacabado…

Not rated yet!

O Boneco de Neve

20171 h 52 min
Overview

Quando uma equipa de elite de combate ao crime, liderada pelo detetive Harry Hole, investiga o desaparecimento de uma vítima da primeira queda de neve do inverno, este teme que um elusivo assassino em série esteja de novo ativo. Com a ajuda de uma extraordinária recruta, o polícia tem que ligar décadas de casos não resolvidos com um impressionante novo caso, se quiser superar este inimaginável e perverso assassino antes da próxima queda de neve.

Metadata
Director Tomas Alfredson
Writer
Author
Runtime 1 h 52 min
Release Date 12 outubro 2017

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 1    Média: 1/5]
  • Thiago de Mello

    Não sei o que ficou melhor. O primeiro parágrafo ou a conclusão! Rsrsrs

    • Lucas Albuquerque

      Temos que fazer valer o nosso “ingresso” já que é para ver isso, então pelo menos vamos nos divertir