Berenice Procura (2018)-Crítica
Posters para ""

Berenice Procura é uma adaptação para o cinema do romance policial homônimo do escritor brasileiro Luiz Alfredo Garcia-Roza, que é, até hoje a única obra do autor cuja narrativa não envolve o personagem do delegado Espinosa – tão querido dos leitores -, embora mantenha o cenário e o contexto de Copacabana. Como grande fã da obra do escritor, tinha muita expectativa em relação a essa adaptação e esperava que, de alguma forma, tivesse mais êxito do que a primeira adaptação da obra de Garcia-Roza, Achados e Perdidos. Infelizmente, fiquei um pouco frustrado com o resultado.

Como crítico de cinema, tenho plena consciência de que a narrativa literária e a audiovisual têm linguagens diferentes e de que o problema não reside na fidelidade ao original. Para se realizar um bom filme, o que importa é a técnica cinematográfica. Por outro lado, o material de origem tem certo “espírito”que precisa ser traduzido na adaptação, ponto no qual Berenice Procura falha miseravelmente. Temos um roteiro esquemático, que desidrata a personalidade de Berenice e seus conflitos por meio da simplificação das relações entre personagens estereotipados – o que também prejudica as atuações. Assim, temos uma trama previsível, na qual os conflitos da protagonista são menos intensos do que a personagem original.

Berenice Procura, por outro lado, faz um excelente retrato do universo transexual, dos conflitos e das consequências dessa descoberta na vida das pessoas e da família, sem cair no exagero. Ainda que os personagens sejam mais estereótipos do que arquétipos, o texto é muito natural e realista. O núcleo da boate Ponto G. em especial, apresenta diversos atores trans muito talentosos, com destaque para Valentian Sampaio. O núcleo da família de Berenice, com Cláudia Abreu, Eduardo Moscovis e Caio Manhente tem boa participação, com destaque para o ator adolescente.

Tecnicamente, Berenice Procura mantém alto nível. Com fotografia colorida e contrastada para retratar o submundo, como em Paraíso Perdido, Berenice Procura tem lindas cenas na boate, com excelentes coreografias, atuação e direção de arte. A trilha sonora, por sua vez, deixa a desejar, especialmente quando exagera no melodrama co m uma sequência de piano brega e de mau gosto em cenas cujo peso dramático fala por si só. Não se trata de achar que a trilha seja totalmente dispensável, mas de reconhecer a péssima qualidade da escolha.

Ainda que tenha muitos defeitos, Berenice Procura prende a atenção do espectador médio e pode chocar o cidadão de bem com o desfecho, muito realista e com grande verossimilhança na sociedade brasileira atual. Alan Fitterman foi ousado e fez um filme necessário e de bom nível, ainda que não esteja no nível de Pela Janela e Ferrugem, por exemplo.

Not rated yet!

Berenice Seeks

20171 h 30 min
Overview

A taxista Berenice (Claudia Abreu) está acostumada a passar horas e horas pelo trânsito caótico da cidade do Rio de Janeiro e de seu bairro natal, Copacabana. Consumida pela profissão, o pouco tempo que tem de sobra, ela se divide entre a criação do filho Thiago (Caio Manhente), um adolescente descobrindo sua sexualidade, e sua conturbada relação com o marido Domingos (Eduardo Moscovis), um repórter policial. Até que o assassinato de Isabelle (Valentina Sampaio ), uma travesti, na praia de Copacabana, desperta um lado seu investigativo, mudando sua vida.

Metadata
Director Allan Fiterman
Writer
Author
Runtime 1 h 30 min
Country  Brazil
Release Date 29 setembro 2017

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 0    Média: 0/5]