A Morte te dá Parabéns! (2017) – Pânico + Feitiço do Tempo
  • 11
  • 10

A Morte te dá Parabéns! tem uma premissa que você talvez conheça: uma garota Tree Gelbman (Jessica Rothe) é perseguida por um assassino mascarado (lembrando o que vemos na franquia Pânico) que acaba matando-a . O grande charme aqui é pegar uma referência de outro filme: Feitiço do Tempo – nele Phil (Bill Murray) acaba preso em um looping temporal repete o mesmo dia diversas vezes. Esse combo de slasher com homenagem (sim, o filme é acima de tudo uma homenagem) rendeu um produto divertido e engajante.

Tenham em mente que o filme possui momentos “toscos”: itens que estão em determinado lugar para conveniência do roteiro, personagens exagerados em um universo escolar bem clichê, além movimentos óbvios (principalmente para quem viu os dois filmes citados). Apesar de todos esses poréns o resultado é bem positivo, pois à semelhança do longa Baywatch: SOS Malibu, também deste ano, fica claro que eles têm consciência do que estão fazendo e a maioria dos “erros” entram na conta da paródia e não de falhas propriamente ditas.

A Morte te dá Parabéns! peca, contudo, em algumas subtramas, como a da relação da protagonista com a família (tal arco é mais piegas que funcional) e nas consequências físicas das mortes da personagem – aqui o problema foi que eles simplesmente largaram a ideia e quando usaram faltou deixar mais redondinha.

Outro comentário, que pode soar injusto, é que a obra que é espelhada, o Feitiço do Tempo, tem uma das grandes atuações de um ótimo ator (Bill Murray). E a injustiça se dá, pois Jessica Rothe é de fato muito inferior a Murray, porém consegue transitar nas diversas camadas que a personagem pedia. Vai de antipática, passa por donzela assustada, é “empoderada” e enfrenta os próprios medo, além de se relacionar bem com o resto do elenco conseguindo tratar cada personagem conforme a narrativa pedia – e ao passar das “vidas” as relações vão mudando. Mas quando uma obra procura outro explicitamente, comparações são inevitáveis…

O aniversário (que justifica o título) é bem utilizado e possui muitos sentidos narrativos. Criar todo esse universo ao redor do dia foi bem criativo – por bem criativo leia-se “simples, porém honrado”. A data abre possibilidades várias e a maioria tem reverbera no decorrer da trama. E nada mais cíclico do que uma marcação no calendário, não é mesmo? Nesse quesito eles estão de Parabéns.

Filmes com esse mote de retorno temporal tem a primeira passada pela, vida número 1, tradicionalmente mais longa. Dessa forma identificamos um circuito que será ressignificado posteriormente. Quem conhece a fórmula vai com certeza brincar de tentar adivinhar o que será alterado pela consciência da personagem, além é claro de matar a charada de quem está matando ou por qual motivo…

Para os mais temerosos, este não é um filme de terror. A única coisa mais sobrenatural seria o looping. Há sim um suspense na busca pelo assassino e na descoberta que Tree faz da própria condição, mas a garantia e de boas risadas, muito mais do que uma tensão nervosa. Como indicação, ótima pedida para ver com amigos e um balde grande de pipoca…e use a tua vida para-bens…

Not rated yet!

A Morte te Dá os Parabéns

2017Duration unknown
Overview

Uma mulher é assassinada e fica presa em um ciclo vicioso entre vida e morte. Ela deve resolver o mistério de seu próprio assassinato, ressucitando várias vezes até descobrir quem foi o responsável pelo crime. Só quando ela compreender o que causou sua morte, pode conseguir escapar de seu destino trágico.

Metadata
Writer
Author
Runtime Duration unknown
Country
Release Date 12 outubro 2017

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 4    Média: 3.5/5]
  • Maurício Costa

    Queria ter dado 3,5 na minha avaliação, mas a avaliação do público não permite meia estrlea. O filme é muito divertido. Funciona porque é despretensioso. Eu gosto de filmes despretensiosos.

    • Lucas Albuquerque

      concordamos na nota? Que absurdo…