A Estrela de Belém (2017) – Crítica
  • 29
  • 11
A Estrela de Belém

A animação A Estrela de Belém tem obviamente uma pegada religiosa, já que o mote é uma narrativa bíblica. E dentro e fora do tema há méritos no produto. O primeiro é que não há uma pregação tão forte quanto em outros filmes da temática e muito menos uma condenação de outras crenças. Não espere aqui um Deus Não Está Morto.

Tal ponto é excelente, pois o filme usa as histórias cristãs para uma aventura que funciona e não para proselitismo. O que também  joga a favor, cai na conta da divertida premissa de contar o caminho para a história do nascimento de Jesus do ponto de vista dos animais. A estrutura fabulesca atinge em cheio as crianças com menos de dez anos – notório público-alvo da produção.

Peca-se (como eu queria usar esse trocadilho aqui), contudo, em um excesso de linearidade. Tudo meio que começa do jeito que termina ou com as mudanças sendo delineadas de forma rasa. E alguns desses arcos sequer tem um final, como é o caso do vilão. Ele está lá só para ter um pretexto de perseguição e reforçar um senso de urgência.

A Estrela de Belém

A mensagem ganha pontos por dar enfoque em temas como amizade, gratidão e perdão sem ficar didático demais ou professoral. Os “ensinamentos” estão lá de forma muito natural, o filme não para para dar um sermão sobre como é importante ser grato por quem te fez bem. Essa fluidez nos acontecimentos é o ponto alto. O mote central: o burrinho Bo sonhando em participar de uma comitiva real, tem uma moral que exemplifica essa questão.

O visual está bem ok: colorido a ponto de não ser uma viagem psicodélica, mas atrativo o suficiente. Os detalhes dos personagens, objetos e cenários não têm um apuro Pixar, porém mesmo simples possuem simpatia. Ainda assim, algumas paisagens são bem exploradas e os objetos tem um uso importante.

O humor me surpreendeu. Sim, calcado em tropeções e toda a sorte de gags visuais, temos algumas sacadas inteligentes e momentos divertidinhos. Não espere nada complexo, o filme é infantil mesmo. Mas algumas cenas me fizeram ter um sorriso agradável. E indo na linha do drama, o filme também é eficaz. Mesmo trabalhando com a meta do nascimento de Jesus (se você sabe o mínimo de cultura ocidental, sabe o que acontece) a coisa tem momentos que possibilitam um engajamento sincero.

Há até uma breve piada com a “traição” de Maria e como José receberia a notícia de que a mulher estaria grávida de “outro”. A saída para esse momento se volta, claro, para a fé e traz uma singela e tocante cena. Ainda assim, é curioso tal abordagem com Maria preocupada em como contar para o recém marido…

A Estrela de Belém

Quem rouba a cena são os bichos e as interações com os humanos. A bicharada fala entre eles, mas os humanos ouvem apenas os sons de latidos, zurras e pios. O que gera um contraste bem criativo.

Outro ponto positivo de A Estrela de Belém fica nas canções. Não temos aqui um musical da Disney com personagens cantando até para dar bom dia. As canções, bem bonitas e pontuais, são não diegéticas – salvo por um rápido momento que não atrapalha. O acerto da distribuição nacional foi não ter traduzido as músicas. Mesmo as crianças que não saibam inglês poderão se envolver pela emoção da forma que o diretor pensou originalmente.

(se bem que o filme todo dublado não seria um problema já que na capital do Pará fala português – peço perdão pela piada ruim).

A Estrela de Belém cumpre bem o objetivo, dá pra dizer até com um certo louvor (ok, essa foi a última…). Funciona para as crianças e para passar uma bonita mensagem.

Not rated yet!

The Star

Overview

Bo é um jovem asno que está cansado de ficar aprisionado em um estábulo, onde sempre anda em círculos para fazer com que o moinho funcione. Incentivado pelo pássaro Davi, seu melhor amigo, ele consegue escapar e, na fuga, se esconde em meio a uma festa de casamento. Ao término do evento, ele é encontrado pela recém-casada Maria, que carrega no ventre o menino Jesus

Metadata
Director Timothy Reckart
Writer Tommy Sheridan, Simon Moore, Carlos Kotkin
Author
Runtime
Release Date 15 novembro 2017

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 1    Média: 3/5]