A Casa do Medo – Incidente em Ghostland (2018) – Crítica
A Casa do Medo - Incidente em Ghostland

A Casa do Medo – Incidente em Ghostland (o título original é só Ghostland, todo o resto é invencionice local…) já abre com uma citação do autor de histórias de terror H. P. Lovecraft. Tal referência não fica por ali: Beth, a nossa protagonista, é uma adolescente que gosta de escrever e se inspira explicitamente no mestre. Além disso, há muito mais aqui, podendo dizer que em suma o longa é uma grande homenagem.

A trama gira em torno de Beth e a família, composta pela irmã Vera e pela mãe, que vão se mudar para uma casa bizarra e distante que era de um familiar – sim, o mote já usado diversas vezes, raramente veremos um terror em uma kitnet no centro, talvez porque isso por si só já seja um terror para alguns.

A Casa do Medo - Incidente em Ghostland

Logicamente as coisas saem do controle e de uma forma que envolve malucos externos e a sanidade dos presentes (quem conhece o Lovecraft sabe no que estamos entrando). Será difícil falar muito sem entrar em spoiler, mas A Casa do Medo – Incidente em Ghostland brinca com o que é real e o que é a mente nos pregando uma peça e faz isso com as personagens e com o público, somos meio que convidados a participar – em uma jogada que funciona muito… até certo ponto.

Parte da graça aqui está em misturar esse terror psicológico com um gore que vai incomodar os que não estão acostumados. Além de uma insinuação (concreta ou não, não vou dizer) de algo sobrenatural também dá as caras e um bem terreno está presente desde o início. E até os famigerados jumpscare são bem usados. Mas sem dúvidas o terror que fica na mente das personagens é o carro chefe.

As atrizes são funcionais, o destaque vai para  Emilia Jones que faz a Beth mais jovem. Ele é colocada em situações mais extremas e isso acaba exigindo dela, prontamente entregue pela profissional. No todo, a menina alterna alguns sentimentos próprios da idade, além de, obviamente, medo. Já a Taylor Hickson, que faz a Vera adolescente, deixa um pouco a desejar, mas o papel não a ajuda.

A Casa do Medo - Incidente em Ghostland

O último ato é onde a trama se organiza e quem estava confuso vai finalmente colocar o pé no chão – e em se tratando de uma homenagem à Lovecraft isso não é necessariamente um elogio. Há um movimento que deixa um gosto específico na última cena, mas não é algo ruim exatamente. E a construção do todo foi tão bem feita pelo roteirista e diretor Pascal Laugier (Mártires) que não foi suficiente para o filme se romper.

A Casa do Medo – Incidente em Ghostland exige uma certa aceitação de alguns clichês, principalmente em relação à inteligência dos envolvidos, mas o resultado, principalmente no como a história é apresentada e desenvolvida faz com que a produção ganhe muitos pontos.

Not rated yet!

Ghostland: A Casa do Terror

20181 h 31 min
Overview

Pauline acaba de herdar uma casa de sua tia e então decide morar lá com suas duas filhas, Beth e Vera. Mas, logo na primeira noite, o lugar é atacado por violentos invasores e Pauline faz de tudo para proteger as crianças. Dezasseis anos depois, as meninas, agora já crescidas, voltam para a casa e se deparam com coisas estranhas.

Metadata
Director Pascal Laugier
Writer
Author
Runtime 1 h 31 min
Country  Canada France
Release Date 15 março 2018

Nota do Razão de Aspecto

 

O que você achou?

 
[Total: 4    Média: 3.8/5]