OS 3 Melhores Filmes de Janeiro de 2018
me-chame-pelo-seu-nome

Janeiro sempre é um ótimo mês para os cinéfilos no Brasil. Diversos filmes do Oscar já estreiam, o que em geral significa um aumento da qualidade.

Veja todas as nossas críticas dos filmes indicados ao Oscar

E há exatamente um ano a gente dava início a nossa série mensal de elencar os melhores filmes do mês. Aqui as listas do ano passado:

Os 3 Melhores Filmes de j aneiro 
Os 3 Melhores Filmes de fevereiro
Os 3 Melhores Filmes de março
Os 3 Melhores Filmes de abril
Os 3 Melhores Filmes de maio 
Os 3 Melhores Filmes de junho
Os 3 Melhores Filmes de julho
Os 3 Melhores Filmes de agosto 
Os 3 Melhores Filmes de setembro
Os 3 Melhores Filmes de outubro
Os 3 Melhores Filmes de novembro 
Os 3 Melhores Filmes de dezembro

Como é a primeira do ano vale as ressalvas: esta é uma lista pessoal, provavelmente não vai coincidir com a tua e nem com a dos outros autores do site. Coloque nos comentários qual é o teu top 3… Vale para o ranking filmes lançados nos cinemas brasileiros em circuito comercial e também longas  originais Netflix. Por vezes, fazemos uma menção honrosa (será o caso este mês).

Vi 21 filmes no cinema em janeiro e mais os 4 da Netflix. Sem mais, vamos ao pódio:

Menção honrosa: O Artista do Desastre. A homenagem ao The Room dado como o pior filme de todos os tempos  não poderia ficar de fora (relembre as piores cenas de The Room). Entendemos um pouco da história por trás da produção do longa e da cabeça Tommy Wisaeu. Aqui a nossa crítica completa de O Artista do Desastre .

3) PELA JANELA – Dirigido por  Caroline Leone

Pela Janela Magali Biff

Primeira lista do ano e já temos um filme nacional. Pela Janela conta a história de Rosália, que após ser demitida, sai em viagem pela Argentina com o irmão. Planos longos e cortes precisos em momentos capitais dão a tônica aqui. Uma força inacreditável na direção de estreia de Caroline, seja em momentos grandiosos como a cena nas cataratas, seja no olhar para a rotina. O signo da janela repetidamente bem usado e dialogando com a magistral atuação de Magali Biff. O longa possivelmente integrará a nossa lista dos melhores nacionais do ano.

CONFIRA A CRÍTICA COMPLETA DE PELA JANELA

2) VIVA – A VIDA É UMA FESTA (COCO) – Dirigido por Lee Unkrich

Viva

Pixar sendo Pixar. Basicamente o texto poderia acabar aqui. O talento do estúdio foi visto mais uma vez e deve ganhar o Oscar 2018. A história de busca pelo sonho de ser músico faz com que Miguel acabe parando no mundo dos mortos, mesmo estando vivo. Um design variado e detalhado, aliado a uma trilha forte (lembrados na premiação), compõe a bela narrativa. Em parte infantil, mas com um ótimo reforço da cultura mexicana, em parte tocante para adultos que relembrarão dos entes que se foram. Viva trata de legado, memória, família e identidade.

CONFIRA A CRÍTICA COMPLETA DE VIVA – A VIDA É UMA FESTA

1) ME CHAME PELO SEU NOME (CALL ME BY YOUR NAME) – Dirigido por Luca Guadagnino

me-chame-pelo-seu-nome

Indicado a 4 Oscar, incluindo Melhor Filme, Me Chame Pelo Seu Nome traz uma das mais belas histórias de descoberta do amor.  Oliver (Armie Hammer) bagunça a vida de Elio (Timothée Chalamet). Cada momento é preciso, o filme não tem pressa em acelerar nada e com isso entrega um exemplar estudo de personagem. As diversas artes percorrem toda a obra com sentido narrativo. É possível que leve o Oscar de Roteiro Adaptado. A atuação do jovem Timothée Chalamet justifica a indicação, principalmente ao contrapor a primeira metade do longa com a segunda. E há duas cenas no final que valem toda a longa jornada.

CONFIRA A CRÍTICA COMPLETA DE ME CHAME PELO SEU NOME



Os 4 citados (inclusive o da menção honrosa) eu dei exatamente a mesma nota. Ou seja, a posição é um mero detalhe aqui, são todos ótimos filmes. 

Aqui algumas surpresas positivas do mês

e aqui a lista dos 3 piores

Vale lembrar também de outros filmes de janeiro, inferiores aos primeiros, mas também muito bons:

120 Batimentos por Minuto
O Destino de uma Nação
The Post
Os Iniciados
Visages, Villages

Posts relacionados
  • 22 abr 2017
  • 1
Está disponível na Netflix Brasil o poderoso e comovente documentário Tower, a respeito do primeiro ataque de assassinato em massa registrado nos Estados Unidos, na...
  • 23 maio 2017
  • 0
Quando Sean Connery se recusou definitivamente a reprisar o papel de James Bond após 007 – Os diamantes são eternos, os produtores se voltaram para...
  • 9 nov 2016
  • 0
Com muito orgulho e um pouco de atraso, o Razão de Aspecto divulga sua nova atividade mais ou menos regular: A Mesa Quadrada. Maurício Costa, Daniel...