O DEZ PIORES FILMES NACIONAIS DE 2017
Se o cinema nacional teve grande filmes em 2017, infelizmente, também foi o responsável por grandes bombas! o Razão de Aspecto preparou para você a lista dos piores filmes nacionais do ano!
Confira também a nossa lista dos piores de 2016 e as nossas listas mensais:

Finalmente, vamos á lista dos piores filmes nacionais de 2017!

 

10-  Rastro

O Rastro fracassa como terror, como drama e como crítica política. É uma pena, pois se trata de uma produção com com orçmento e tecnicamente muito boa. De nada adiantou, já que os recursos forma desperdiçados pela narrativa rasa.

9- Amor. Com

Um filme raso, apático, sem a mínima noção do que é ser nerd. A direção preguiçosa e o roteiro frouxo não dão conta da típica história de amor improvável.

Confira a nossa crítica completa de Amor. com

8- Polícia Federal: A Lei É Para Todos

O que torna Polícia Federal – A lei é para todos um dos piores do ano está âmbito cinematográfico apenas. Diálogos completamente artificiais, explicações constantes para mastigar a trama para o público e uma narração em off sem justificativa. A montagem acelera e arrasta a história sem um claro. O valor de produção nas cenas de ação acaba sendo descompensado por todo o resto. O ar “Vingadores” transforma a coisa em uma paródia que não cabe.

Confira a nossa crítica completa de Polícia Federal: A Lei é para todos

7- Ninguém Entra, Ninguém Sai

A comédia Ninguém Entra, Ninguém Sai pega toda a sorte de trocadilhos bobos com sexo e os utiliza para arrancar risos do público – na sessão que eu estava ninguém gargalhou. O filme tem arcos estranhos e uma premissa ruim, com um desenvolvimento pior ainda – a conclusão, bem a conclusão é triste….. Os bons comediantes que integram o elenco fazem mais do mesmo e não tem o carisma que normalmente entregam. Besteirol de quinta, típico filme que “mancha” a fama do nosso cinema.

Confira a nossa crítica completa de Ninguém Entra, Ninguém Sai

6- Bye Bye Jaqueline

Uma tentativa de filme adolescente que resulta em um episódio longo e mal filmado de Malhação. Diálogos 100% artificiais, direção semi amadora e um retrato mal nutrido do que é a adolescência.

Confira a nossa crítica completa de Bye Bye Jaqueline

5- Duas de Mim

Um humor rasteiro, que vai nada além de gags previsíveis e piadas com sexo, anão e gritaria, permeiam toda a obra. Quando a “melhor” piada é um dos personagens, interpretado pelo Latino, ser cover do Latino a coisa está feia….

Conveniências, furos e uma nulidade técnica compõe o terrível cenário aqui. Nada salva. Cinema brasileiro não é só isso…

Veja a nossa crítica completa de Duas de Mim

4- Os Parças

Whindersson Nunes, Tom Cavalcante, Bruno de Luca e Tirullipa representam facetas diferentes do humor. Então reunir essa trupe podia significar uma proposta criativa e variada, ainda mais sob a direção do ótimo Halder Gomes. O resultado, contudo, vai na contramão dessa expectativa. Uma história completamente bagunçada, sem lógica (até para um filme de comédia) e que existe só para ter gags das mais rasas. Tudo é calcado em gritaria, correria e falta de viço. E mesmo que você ria em uma cena outra, um filme tem que ser mais que isso…

CONFIRA A NOSSA CRÍTICA COMPLETA DE OS PARÇAS

3- Internet – O Filme

“(…) – O Filme”. Filme é tudo que esta produção não é… Apenas um apanhado mal feito de várias esquetes ,com o objetivo de contemplar o maior número possível da galera da internet – notadamente do Youtube. Com piadas sem graça, batidas e, quando muito, apenas referenciais. Os poucos bons elementos, que davam a esperança de uma produção ok, foram engolidos pelo péssimo roteiro. Tenho absoluta certeza que o pessoal da internet pode produzir coisas muito melhores. Material e potencial de público desperdiçados.

2- o Crime da Gávea

Uma história de suspense policial com todos os clichês mal usados. Da trilha exagerada, às atuações fora do tom. Uma das experiências mais intragáveis do ano.

1- Gostosas, Lindas e Sexies

Todos os demais filmes se tornam obras-primas perto de Gostosas, Lindas e Sexies. A proposta de empoderar mulheres que estão com alguns quilos a mais seria muito bem-vinda. O problema claro não é esse, mas sim tudo que está ao redor dessa premissa. Simplesmente não há um filme aqui. Alguém teve a justa ideia de dar o protagonismo a esse grupo, mas esqueceu de pensar em uma história. Fora que o que mais se viu foi preconceitos sendo reforçados e ideias completamente erradas sobre como pessoas normais conversam. Disparado o pior filme até agora e forte concorrente posto de 2017.

Posts relacionados
  • 8 nov 2016
  • 1
Ao contrário do previsto, o Razão de Aspecto pode comparecer ao quarto dia do 5º Brasília International Film Festival. Não foi sem susto, a correria...
Sundance
  • 29 jan 2018
  • 1
O Festival de Sundance 2018 chegou ao fim neste domingo, dia 28 de janeiro. Depois de dez dias de cobertura intensa,  Conexão Sundance traz para...
  • 20 jan 2017
  • 0
No primeiro dia do Festival de Sundance, comentamos dois filmes das mostras competitivas internacionais.   Pop Aye (Tailândia) Pop Aye tem uma narrativa surpreendente e...