OS 3 Piores Filmes de Junho de 2017
  • 03
  • 07

Junho foi um dos melhores meses para o cinema, como vocês podem ver no texto “Os 3 Melhores Filmes de Junho de 2017”. E mesmo o outro lado, o dos piores, não teve nenhum filme com a nota mínima (uma estrela) – apesar que 5 filmes quase chegaram lá, infelizmente. Por tudo isso, foi difícil definir 3 longas para o ranking, então farei uma menção (des)honrosa este mês:

O Círculo – Um elenco com muito carisma, uma premissa atual, crítica aos aplicativos que dominam a nossa vida, possibilidades de reflexões, entre outros potenciais méritos. Mas  a obra entrega muito menos do que poderia. Problemas de montagem, roteiro e direção tornam O Círculo, se não o pior, o mais decepcionante filme do ano.
Veja aqui a crítica completa de O Círculo. 
(vale também a nota negativa para As Aventuras de Ozzy. Uma animação voltada apenas para o público infantil, problema nenhum a priori. A questão é que a mensagem ficou um tanto torta – boa parte do filme se passa em uma prisão usando jargões e dilemas próprios da cadeia, algo não muito adequado para os pequenos. Além disso, o roteiro, principalmente no desenvolvimento dos personagens, é bem raso).

Vamos, finalmente, à lista:

3) MEUS 15 ANOS 

A infeliz tradição de ter um filme nacional entre os piores do mês se manteve em junho. Desta vez com o longa infanto-juvenil Meus 15 Anos. A obra nada mais é do que um grande fanservice da Larissa Manoela (e daqueles que querem seguir tudo que a cantora Anita faz). A trama rasa e clichê – até para o público-alvo, suponho, pode ainda assim encantar. Contudo, há falhas na distribuição do tempo dos primeiros arcos e uma quantidade muito maior de personagens que deveria. Além da “síndrome de Malhação”, com atores muito mais velhos que os personagens. A diferença da Larissa Manoela para o par romântico é gritante.

Confira aqui a crítica Completa de Meus 15 Anos.

2) PARIS PODE ESPERAR 

Posters para ""

Um road movie gastronômico que não sai do lugar e é bem sem sal. Paris Pode Esperar tem um trama redundante e simplória. Um personagem verborrágico tenta seduzir uma mulher casada ao longo das estradas do interior da França. Ela, com problemas no relacionamento, meio que resiste, meio que o incentiva. E sim a trama é só isso. Talvez o filme mais esquecível do ano.

1) TUDO E TODAS AS COISAS

Posters para ""
Aqui tinha potencial, mas o filme se boicota o tempo inteiro. A história é batida, porém alguns elementos poderiam tornar o todo bem melhor. Não é um deserto de criatividade, contudo é uma abundâncias de clichês. Algumas coisas soam como furos ou atitudes improváveis. E aí vem o grande problema: com um pouco de sagacidade o público logo perceberá que só temos duas saídas para o filme…o final é ridiculamente óbvio e mal trabalhado. E o pior: não sana todos os problemas apresentados no começo, mesmo que aparente fazê-lo. Tudo e Todas as Coisas na mão de um diretor mais gabaritado poderia ser muito melhor do que foi.

Confira aqui a crítica completa de Tudo e Todas as Coisas



E como ficou o seu top 3 piores de Junho? Deixem aí nos comentários!

Posts relacionados
  • 29 set 2017
  • 2
Setembro trouxe muitos filmes que sacudiram as salas de cinema e os debates nas redes sociais. Aqui no Razão de Aspecto tivemos a cobertura do...
  • 25 ago 2014
  • 0
          Gênero: Drama   Direção: Jim Jarmusch Roteiro: Jim Jarmusch Elenco: Tilda Swinton, Tom Hiddleston, Mia Wasikowska, John Hurt, Anton Yelchin, Jeffrey Wright, Slimane Dazi....
  • 30 nov 2016
  • 0
Uma história em forma de boneca russa.  Para os personagens, o labirinto é o jogo. Para o espectadores, o labirinto é a narrativa.   ESTA...