Os 3 Melhores Filmes de Junho de 2017

Em Junho, além de canjica, quadrilha e quentão, quais são as melhores coisas do mês? Pelo menos no cinema pudemos ver três obras excelentes e o melhor: excelentes por motivos bem diferentes. Os três filmes de Junho têm características distintas e isso torna a coisa ainda melhor (e até mais difícil de rankear). Mas vamos lá:

3) COLOSSAL:

Sem dúvidas um dos filmes mais criativos do ano. Em meio a tantos remakes, reboots e sequências, ver essa pérola é uma delícia. O diretor espanhol Nacho Vigalondo traz uma premissa muito curiosa envolvendo um monstro gigante na Coreia e um drama pessoal de uma mulher nos EUA. Como essas histórias se relacionam, o subtexto que tiramos e a mistura de gêneros, encobrem possíveis falhas e elevam Colossal a um dos grandes (perdão pelo trocadilho) filmes não só de Junho, mas do ano.

Veja a crítica completa de Colossal 

2) Z – A CIDADE PERDIDA:

James Gray conduz esse épico desbravatório que narra a saga do explorador Percy Fawcett (Charlie Hunnam). Tudo aqui notável: a pluralidade dos cenários (guerra, floresta, reuniões), o elenco (nomes conhecidos em papéis bem diferentes) e a busca pelo sonho. Com licenças poéticas para exaltar o mito, um domínio da linguagem cinematográfica e tudo muito certinho, Z encanta, com mais marketing e lançado no momento certo, poderia ter ido para o Oscar

1) AO CAIR DA NOITE:

Não se engane com os dizeres de “esse filme não tem história” ou “não é terror”. Ao Cair da Noite tem muito a dizer e é, não só o melhor terror do ano, como um dos melhores filmes de 2017. A fotografia trabalha luz e sombra de um jeito narrativo. A questão onírica dando camadas. E temas como paranoia, medo, sexualidade, família e sobrevivência tratados sem exposição barata e de modo cru.

Veja a crítica completa de Ao Cair da Noite

E quais foram os melhores filmes que você viu neste mês? Deixem aí nos comentários…

Posts relacionados
  • 18 jul 2014
  • 0
Dando continuidade à lista dos filmes com os quais criei mais identificação…. Os Commitments – loucos pela fama (The Commitments, 1991): se “Sociedade dos Poetas...
  • 31 dez 2016
  • 0
Este Cinema em um Parágrafo foi um desafio. Colocar um longa de quase 3 horas em poucas linhas não é fácil. Sieranevada é simples, mas...
  • 20 set 2016
  • 0
Hoje, realiza-se a abertura do 49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, com a exibição do filme Cinema Novo, de Eryk Rocha, premiado no Festival...