A CIDADE ONDE ENVELHEÇO – Cinema em um Parágrafo
O grande Vencedor do Festival de Brasília 2016 chega aos cinemas.

 

 

 

A Cidade Onde Envelheço fala um pouco sobre duas pessoas de mesmo idioma, mas que nem sempre conseguem estabelecer uma comunicação ideal. As  atrizes portuguesas Elizabete Francisca e Francisca Manuel conseguem dar totais veracidade e naturalidade às relações
de suas personagens: à amizade, ao distanciamento, às distâncias (físicas e psicológicas) e às proximidades. A cidade onde envelheço traz
protagonistas simpáticas, com leveza na abordagem dos temas. O ponto forte do filme são os excelentes diálogos afiados e reflexivos – a la Gilmore Gilrs ou um Nelson Rodrigues sub 14 -, que conferem naturalidade impressionante às cenas, tornando conversas sobre os azulejos de um banheiro
algo interessante e, ao mesmo tempo, importante para a construção dos personagens. Um filme fácil, agradável, despretensioso e simples, sem grandes mensagens, com uma ótima história. Nota 4/5.
 
Por Maurício Costa, Daniel Guilarducci, Aniello Greco e Lucas Albuquerque.
 
 
Leia a fica técnica aqui.
 
 
 
Quer mais de cinema brasileiro? Confira:
 
Posts relacionados
  • 29 jan 2017
  • 0
O Ídolo não sabe como apresentar a própria trama e desperdiça uma boa história. Fui ver O Ídolo sem saber do que se tratava e tive...
  • 20 jun 2014
  • 0
Em teoria cinematográfica, um dos principais conceitos diz respeito à identificação. A ideia tem origens na psicanálise freudiana, mas suas origens e desenvolvimento não serão...
  • 29 set 2017
  • 2
Setembro trouxe muitos filmes que sacudiram as salas de cinema e os debates nas redes sociais. Aqui no Razão de Aspecto tivemos a cobertura do...