FESTIVAL DE SUNDANCE – DIA 5
 
Dia 5 com ótimos filmes !

 

The Good Postman
Bulgária
Mostra competitiva de documentários estrangeiros
The Good Postman conta a história de um carteiro de uma vila desolada no interior da Bulgária que decide se candidatar a prefeito. Com o objetivo de salvar a vila da extinção, Ivan defende a ideia de que ela acolha imigrantes Sírios. Assim, os panos de fundo do documentário são a questão ds imigração Síria para a Europa e a xenofobia, muito forte nos países do Leste Europeu. A pequena vila é uma representação do conflito ideológico do mundo atual. Um filme sensível e universal. Uma curiosidade: The Good Postman foi gravado como se fosse ficção. Nota 5/5.
Manifesto
EUA
PREMIÈRE
Cate Blanchet interpreta 13 personagens em monólogos encenados de diferentes manifestos artísticos do século XX. Como se pode imaginar, não é um filme para público de massa, porque demanda conhecimento mais do que médio sobre os movimentos artísticos. Apesar disso, o filme funciona como obra isolada, graças ao bom trabalho de direção e ao talento de Blanchet. Além das lindas trilha sonora, fotografia, figurino e direção de arte, Manifesto tem um senso de ironia impagável, com destaque para a cena do Manifesto Dadaísta e do Dogma 95. Nota 5/5.
 
Beatriz At Dinner
EUA
PREMIÈRE
Salma Hayek interpreta um terapeuta holística que, por circunstâncias inesperadas, fica para jantar na casa de uma paciente milionária. Beatriz entra em conflito com um milionário capitalista sobre sua visão de mundo, e o jantar resulta em muitas surpresas. Trata-se de um filme agradável, com boas interpretações, no geral, e com uma atuação contida incrível de Salma Hayek. Um pequeno detalhe no filme fez toda a diferença: aproveitando a baixa estatura da protagonista, o diretor fez uso do contra plongè para destacar a sua situação de inferioridade. Simples e eficiente. Nota 3,75/5.
 
78/52
EUA
Sessão da Meia Noite

78/52 é um documentário sobre a icônica cena do chuveiro do clássico Psicose, de Hitchcock. Baseado em entrevistas de cineastas, atores, montadores e da dublê de corpo de Janeth Leigh, o filme faz uma análise da influência dessa cena no cinema mundial, do contexto em que foi lançada e do uso da técnica pelo diretor. Um grande filme para fãs de Hitchcock e cinéfilos, um tanto árido para o público geral. Nota 4/5.

Veja o vídeo do dia 5:





Quer mais da cobertura do Festival de Sundance 2017? Confira:

 

Conheça os sites e canais do Conexão Sundance:
Posts relacionados
  • 11 maio 2017
  • 1
Esta é a segunda parte do especial sobre o Rei Arthur no cinema. A primeira parte você encontra aqui. Na década de 1970, as abordagens...
  • 2 nov 2017
  • 1
Outubro nos rendeu ótimos filmes (veja aqui a nossa lista do MELHORES do mês), contudo na época do Halloween nem tudo é gostosura, quais foram...
  • 13 maio 2017
  • 0
As primeiras três partes deste especial estão aqui, aqui e aqui. Em 2006, James Franco e Solphia Myles estrelaram Tristão & Isolda. Embora não se...