GAME OF THRONES – SEXTA TEMPORADA – EPISÓDIO 8: NO ONE (COM SPOILERS!)

ALERTAEsta crítica contém spoilers. Proceda à leitura por própria conta e risco.

 

Confira a ficha técnica do episódio aqui
 
 
 
Nota do Razão de Aspecto:
————————————————————————————————–

No oitavo episódio, GoT descartou algumas teorias muito populares entre os fãs, encerrou algumas tramas, criou dúvidas sobre outras e preparou o terreno para season finale épico nos dois últimos episódios da temporada.

 

Antes de mais nada, quero comemorar a nulidade da teoria “clube da luta” de Arya Stark. A esta altura da série, seria intolerável introduzir um transtorno de personalidade dissociativa como recurso narrativo, porque não teria nenhuma coerência com o universo de fantasia de GoT. Além disso, também fiquei satisfeito com a eliminação da teoria de que a pessoa esfaqueada não seria Arya. Embora minha teoria favorita não tenha sido 100% correta, porque nossa Stark favorita não usou o famoso sangue de porco para enganar sua rival, naquilo que interessava, estava correta: Arya venceu sua rival, pela primeira vez, em uma luta no escuro, conforme defendi na crítica do sexto episódio. Claro, o desfecho foi um tanto inverossímil, já que sequer tiveram a preocupação de explicar como Arya se arriscou tão estupidamente e como ferimentos tão profundos foram curados rapidamente para permitir a fuga, a perseguição e o duelo final. A Waif mais parecia uma versão medieval do exterminador do futuro com aquela interpretação robótica de violência. Felizmente, o desfecho de Arya em Braavos e sua fala final nos fazem relevar os erros anteriores.

Em King’s Landing, a proibição do julgamento por combate por Tommen colocou a perder os planos de Cersei e, ao mesmo tempo, eliminou a teoria do enfrentamento entre os irmãos Cão de Caça e Montanha. O famoso “eu escolho a violência” de Cersei mostrou-se precipitado, ao antecipar sua vitória em eventual julgamento por combate, mas, ao mesmo tempo, indica que a loucura de Cersei pode levá-la a atitudes ainda mais violentas, por não ter mais nada a perder: quem sabe Cersei não incendiará King’s Landing com o que resta do depósito de fogo vivo sob a cidade? Eu aposto nesta versão dos “rumores” que os passarinhos de Qyburn confirmaram. Talvez se trate de alguma carta na manga contra o Alto Pardal, mas teremos de aguardar para ver.

 

 

Em Mereen, a volta de Daenerys diante do fracasso da estratégia de Tyrion foi providencial. A rainha retorna com um exército mais poderoso, capaz de controlar seus dragões, e, ao que tudo indica, receberá o apoio dos Greyjoy em plena batalha. Seria estúpido imaginar que centenas de navios se encaminham para o encontro com Daenerys, que Mereen é atacada pelo mar e que não haverá relação entre os dois fatos.

 

Em Correrio, Jamie Lannister venceu Peixe Negro na estratégia, e não na batalha. Mais uma vez, George Martin e a HBO nos apresentaram um personagem carismático, que, logo depois, é traído e massacrado, embora, é claro, a morte de Peixe Negro não tenha sido mostrada. Em GoT, tudo é possível, inclusive que soldados fiéis tenham mentido sobre sua morte. Não seria nem a primeira nem a última vez em que esse recurso seria usado na trama. É improvável, mas não duvido de nada. O reencontro de Jamie e Brienne rendeu uma das melhores cenas de toda a temporada, quiçá de toda a série.

O encontro do Cão de Caça com a Irmandade Sem Bandeiras, com o ressurgimento de Berric Dondarion e Thorus de Myr, é ambíguo: por um lado, pode significar a impossibilidade do aparecimento de Lady Stoneheart, já que, nas Crônicas de Gelo e Fogo, Dondarion deu a própria vida pela ressurreição de Catelyn Stark; por outro lado, todos os elementos para a intordução da personagem estão consolidados- Irmandade Sem Bandeiras, Brienne, Podrick e Jamie Lannister estão reunidos nas Terras Fluviais. Além disso, na excelente cena entre Jamie e Edmure Tully, houve várias referências a Catelyn Stark, além, é claro, das visões de Bran e várias outras referências indiretas durante a temporada.

Na próxima semana, teremos a tão esperada Batalha dos Bastardos. Mindinho será o fiel da balança, sem dúvidas. Será quer GoT nos surpreenderá e colocará Lorde Baelish ao lado de Ramsey Bolton? Será que teremos uma vitória dos Stark, mas a segunda morte de Jon? Será que Sansa vai realizar sua vingança? Nesta temporada, GoT tem sido previsível, e as soluções narrativas não têm surpreendido o público, porém, eu não descarto uma crueldade absurda dos criadores com os fãs. Aguardemos.

Por Maurício Costa

 

Posts relacionados
Filmes de Novembro
  • 1 dez 2017
  • 3
Novembro passou (socorro, já?) e além de alguns feriados o penúltimo mês do ano nos trouxe diversos filmes – consegui ver 30 no cinema. Então...
  • 10 out 2014
  • 0
Gênero: Drama histórico/Fantasia Direção: Ciaran Donnelly, Jeremy Podeswa, Stefan Schwartz, Mikael Salomon e Michelle MacLaren Roteiro: Chris Chibnall e Michael Hirst (criadores), Thomas Malory (livro-fonte),...
  • 11 out 2016
  • 1
ESTA CRÍTICA CONTÉM SPOILERS DO PRIMEIRO EPISÓDIO DE WESTWORLD Leia a fica técnica aqui Nota do Razão de Aspecto:  ————————————————————- O segundo episódio de Westworld remete diretamente ao filme de...