Matinê
Matinê
Em sua primeira aula sobre teoria,
linguagem e crítica cinematográficas, o mestre Pablo Villaça pergunta aos
alunos o que os motivou a procurar o curso. Ao ouvir a questão, surgiram-me
duas linhas de resposta: em primeiro lugar, quando gostamos de um assunto,
queremos – ou deveríamos – aprender mais sobre ele, aprofundar os conhecimentos,
encontrar outras pessoas com interesses semelhantes e nos divertirmos, fundamentalmente.
O segundo motivo, ao menos no meu caso, era superar a máxima preguiçosa de que
“gosto não se discute”.
É claro que cada um gosta do
que bem quiser – eu mesmo adorava a série de TV do Highlander, o que depõe
muito sobre mim – mas isso não nos impede de tentar identificar elementos mais
ou menos objetivos que qualifiquem – ou desqualifiquem – uma obra audiovisual. “Gosto
não se discute”?  Discute sim… e
existe uma área milenar do saber humano chamada “estética” que se
dedica, há alguns séculos já, ao assunto.
Foi com esse espírito que
recebi a ideia do Maurício de mantermos um blog
sobre cinema.

Bem-vindos ao Razão de
Aspecto. A sessão já vai começar.
Posts relacionados
51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro
  • 21 set 2018
  • 0
No sétimo dia do 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro foram exibidos, na Mostra Competitiva, 3 filmes: os curtas Plano Controle e Guaxuma e o longa...
  • 14 dez 2016
  • 0
Rainha de Katwe usa o Xadrez para contar uma bela história de pertencimento e superação. A Rainha de Katwe, para o bem ou para o...
  • 26 jun 2016
  • 0
 O texto a seguir contém diversos SPOILERS sobre as temporadas de Penny Dreadful. Estejam avisados. Nota do Razão de Aspecto: Quando estreou, em 2014, Penny Dreadful...